1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Após defender 'justiceiros', jornalista do SBT nega ser a favor da violência

06 Fevereiro 2014 | 20h 50

'Eu defendo as pessoas de bem que foram abandonadas à própria sorte, porque não tem policia, não tem segurança pública', tentou explicar Rachel Sheherazade

Dois dias depois de ter defendido a ação de supostos justiceiros do Flamengo e uma "legítima defesa coletiva" contra criminosos, a apresentadora do SBT Brasil, Rachel Sheherazade, negou hoje, no ar, ser a favor da violência.

Com o apoio do colega de bancada, Joseval Peixoto, ela tentou explicar o que disse anteontem: "Estou do lado do bem, ao lado dos anjos". "Sou uma crítica da violência. Eu defendo as pessoas de bem deste País, que foram abandonadas à própria sorte, porque não tem polícia, não tem segurança pública. O que eu fiz não foi defender a atitude dos justiceiros. O que eu defendi foi o direito da população de se defender quando o Estado é omisso", afirmou. Depois, Peixoto explicou que o comentário era uma opinião de Sheherazade e que, quando o jornal quer manifestar seu ponto de vista, o faz em um editorial.

A jornalista falou sobre os supostos justiceiros após reportagem sobre um adolescente infrator que foi acorrentado a um poste por um bando, no Flamengo. O comentário provocou grande repercussão nas redes sociais e preocupação no SBT. O Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro divulgou uma nota de repúdio a Rachel, acusada de desrespeitar os direitos humanos e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).