1. Usuário
Assine o Estadão
assine


AppMyCity! premia aplicativos que tornam cidades melhores

Juliana Diógenes

11 Março 2014 | 08h 53

O vencedor ganha US$ 5 mil para apoio no desenvolvimento do app; o foco deve ser claro em questões urbanas

Um concurso internacional, promovido pela New Cities Foundation, vai premiar aplicativos que proponham soluções para os desafios da vida na cidade. O principal critério de participação é o foco em questões urbanas, como mobilidade, gestão, saúde, água, igualdade, varejo, cidadania, arte e entretenimento, entre outras áreas.

As inscrições para a terceira edição do AppMyCity! foram abertas nesta terça-feira, 11, e terminam em 18 de abril. Os produtos devem ser enviados para http://www.appmycity.org e podem ser feitos em qualquer idioma. O ganhador receberá a chancela de melhor aplicativo urbano do mundo, além de US$ 5 mil como apoio para o desenvolvimento da ferramenta.

O aplicativo já pode estar ativo desde que seu lançamento tenha ocorrido depois de 1º de janeiro deste ano. As versões atualizadas de programas criados anteriormente também poderão ser inscritas, mas terão de ser pré-aprovadas pela New Cities Foundation. Apps em fase final de desenvolvimento só podem concorrer caso a versão final seja lançada antes de 1º de maio. O programa deve ainda ser móvel, compatível com iOS, Android, Windows Phone ou baseado na web (webware).

A divulgação dos semifinalistas será no dia 6 de maio. No dia 21 do mesmo mês, serão conhecidos os três finalistas que irão apresentar os apps no principal evento organizado pela fundação, o New Cities Summit 2014. O encontro será em Dallas, nos EUA, entre 17 e 19 de junho. Após a exibição das ferramentas para o público, os mais de 1.000 convidados, entre líderes mundiais urbanos, inovadores e pesquisadores, votarão no seu favorito e o vencedor será anunciado ainda no evento.

Vencedores. Desenvolvedores interessados em participar do prêmio podem encontrar incentivo nos aplicativos que ganharam as outras duas edições do AppMyCity!. No ano passado, ganhou o Colab.re, um aplicativo brasileiro desenvolvido por cinco sócio-fundadores, Bruno Aracaty, Gustavo Maia, Paulo Pandolfi, Josemando Sobral e Vitor Guedes. Eles concorreram com desenvolvedores de ferramentas móveis de Israel e dos Estados Unidos.

Baseado em três pilares - fiscalizar, propor e avaliar -, o Colab.re (o nome vem de colaborar) é uma ferramenta que permite aos usuários a fiscalização de problemas, a proposição de soluções e a avaliação da qualidade dos serviços públicos nos centros urbanos.

No Colab.re, os cidadãos podem registrar reclamações sobre um buraco na rua e o aplicativo faz a ponte com os órgãos públicos para cobrar o reparo. A ferramenta se estende ainda à participação de prefeituras no gerenciamento e na interação das demandas da população. 

Em 2012, o ganhador do concurso foi o CityGardens, um app francês que, com o recurso de geolocalização, oferece informações sobre abertura, fechamento, possibilidade para piqueninque, banheiros, história local e pontos interessantes de parques públicos de Paris.

Colab.re. O brasileiro Colab.re foi inscrito três meses antes do seu lançamento. "Era muito recente, a gente não tinha milhões de usuários e não tinha o melhor produto. Acho que conseguimos ganhar muito mais pelo conceito do que produzido como produto. Era mais do que queríamos fazer do que de fato tinha. E foi isso o que conquistou. Somos a prova viva de que uma ideia muito boa pode dar certo", diz Maia.

O app nasceu no Recife com cerca de dois mil usuários e acaba de completar um ano. Hoje, são mais de 50 mil participantes, há uma versão web e está aberto para todas as cidades do Brasil. Os fundadores do Colab.re já foram procurados por mais de 50 prefeituras, entre elas Recife, Maceió, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis e Belo Horizonte.

"O problema publicado no Colab vai de lâmpada queimada a um bueiro estourado. São coisas simples, mas a quantidade de retorno positivo é grande, seja da prefeitura que consegue mandar mensagem ao usuário dizendo que resolveu o problema, seja do cidadão que agradece pelo conserto", explica Maia.

Hoje, com um ano da ferramenta, os fundadores do Colab.re concentram esforços na melhoria do painel de gestão do aplicativo e na conquista de novos usuários - tanto cidadãos, quanto gestores públicos. Com o aporte de fundo de capital da A5 Internet Investments, recém-negociado, o desafio nos próximos meses será fortalecer a equipe e conectar ainda mais prefeituras à plataforma.

New Cities Foundation. A New Cities Foundation foi criada com a proposta de melhorar a qualidade de vida das cidades, promovendo inovação no espaço urbano e novas parcerias entre governo, empresas, comunidade científica e sociedade civil. O AppMyCity! é uma das estratégias de atuação da fundação, que aposta na tecnologia como um aspecto de inovação urbana capaz de causar mudanças de impacto na vida das cidades.

"Os aplicativos móveis estão literalmente nas mãos das pessoas que vivem nas cidades. Por isso, é uma forma direta para que a vida das pessoas mude e para que os próprios moradores melhorem a cidade por eles mesmos, dependendo do aplicativo que usem", explica Naureen Kabir, organizadora do AppMyCity! e diretora do Urban (co)Lab, um dos braços da New Cities Foundation.

Em 2013, o AppMyCity! recebeu 98 inscrições com aplicativos de cinco continentes. Este ano, a fundação espera dobrar o número de candidatos. Naureen vê no concurso uma "excelente" oportunidade - em especial para jovens desenvolvedores - de ganhar a exposição que precisam para tornar o aplicativo conhecido mundialmente. "É uma oportunidade para que as cidades do resto do mundo aprendam sobre o que é o app, o que tem feito e quais as principais ideias para tornar a experiência urbana mais conectada, divertida e ressonante para cidadãos do mundo todo".

  • Tags: