1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Artista gráfico cria figurinhas de personagens de protestos de 2013

Clarissa Thomé - O Estado de S. Paulo

22 Maio 2014 | 16h 27

Em perfil no Facebook, Sandro Menezes publica álbum batizado de 'Ñ Vai Ter Copa', que traz cromos de manifestantes, black blocs, políticos e policiais

RIO - Em tempos de álbuns queimados e figurinhas da Copa "hackeadas", o artista gráfico e cartunista Sandro Menezes escolheu uma forma diferente de protestar. Ele criou o álbum "Ñ Vai Ter Copa". No lugar de imagens de jogadores e seleções que disputarão o Mundial, personagens que protagonizaram as manifestações de 2013. A cada semana, ele posta na internet os "pacotinhos" - cada um com quatro imagens, de dois times. De um lado, manifestantes, professores, black blocs. Do outro, políticos, guardas municipais, a polícia.

"É um resumo do que aconteceu nesse último ano em forma de figurinhas. Poucas vezes trabalho com humor, porque a situação dos direitos humanos não está para piada. Mas o álbum ficou uma coisa lúdica, ganhou um ar de arte de rua", afirmou Menezes.

Em junho passado, quando começaram as manifestações, o artista gráfico retomou os cartoons políticos. Com outros três artistas, criou um perfil no Facebook, o Ñ Coletivo, que se propõe a fazer "design indignação". Uma das imagens com mais visualizações é a que mostra o Brasil arrastado por um carro da Polícia Militar (PM), no lugar da auxiliar de serviços gerais Cláudia Silva Ferreira, morta neste ano depois de troca de tiros numa favela da zona norte. Foram 20 mil acessos.

Além do Ñ Coletivo, Menezes faz um documentário em forma de cartoon, a revista V de Vinagre. "É a história das manifestações do ponto de vista da rua, dos ativistas, dos direitos humanos. Não tenho militância partidária e política." Como a revista ainda não foi publicada, resolveu resumir as manifestações no álbum, que tem como título o mote das manifestações.

O primeiro pacotinho tem a imagem da professora Lenita Oliveira, que enfrentou sozinha um grupo de PMs em ato na Câmara de Vereadores (o episódio foi registrado pelo fotógrafo Fábio Motta, do Estado); e os black blocs, representados pelo Capitão América e descritos como "tática de resistência". Eles integram o time "nós".

Os adversários ("eles") têm como técnico Eduardo Cabral - referência ao prefeito Eduardo Paes (PMDB) e ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB)-, cuja imagem é a do Dr. Eveil, do filme Austin Powers; e o guarda municipal, reprodução de uma foto em que um agente aparece destruindo donativos para os moradores removidos da Favela da Telerj, em abril.

As próximas figurinhas serão do pedreiro Amarildo de Souza, que desapareceu no ano passado na favela da Rocinha, na zona sul, depois de levado para a sede da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da PM. Ele representará os trabalhadores mortos nas obras dos estádios. A PM aparecerá como stormtrooper, os guardas do Império, na série de filmes Guerra nas Estrelas. Também há críticas para a imprensa: J.J. Jameson, o chefe de Peter Parker que quer fazer o Homem Aranha parecer vilão, é a imagem que representa o jornalismo tradicional. A Mídia Livre aparece no time "nós".

  • Tags: