Assessor da FAB entrega informações das caixas-pretas à CPI

A expectativa de integrantes da CPI do Apagão Aéreo é iniciar a análise do material ainda nesta terça-feira

Denise Madueño, do Estadão,

31 Julho 2007 | 14h17

O presidente em exercício da CPI do Apagão Aéreo da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) recebeu, por volta das 14 horas desta terça-feira, 31, as cópias das informações das caixas-pretas do avião da TAM, que se acidentou no dia 17 de julho, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.   Veja também:  Congonhas reabriu sem atestado, diz Schneider  CPI analisa transcrições da caixa-preta  Pereira vai à CPI após confirmação de saída  Procon multa a Gol em R$ 672 mil  TAM restringe pousos com reverso pinado  ENQUETE: qual a pior frase da crise aérea?      Pela manhã, a CPI recebeu o áudio do diálogo dos controladores de vôo com os pilotos do avião, pouco antes do acidente. Os documentos foram entregues, agora à tarde, pelo assessor do Comando da Aeronáutica, brigadeiro Átila. Os deputados Marco Maia (PT-RS) e Rocha Loures (PMDB-PR) foram encarregados por Cunha para guardar o material no cofre da comissão. Cunha marcou para as 15 horas uma reunião da comissão para decidir os procedimentos a serem adotados.    A expectativa dos integrantes da CPI era de começar ainda nesta terça-feira a analisar as transcrições das caixas pretas do Airbus da TAM, acidentado no dia 17 de julho. O anúncio foi feito pelo presidente interino da CPI, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na abertura dos trabalhos da CPI.    Antes das 10 horas desta terça-feira, Cunha recebeu o áudio dos diálogos mantidos pelos controladores de vôo e os pilotos do avião da TAM. Cunha deve consultar os demais integrantes da CPI sobre o tratamento que dará às informações que estão sendo enviadas pela Aeronáutica. Cunha está no comando dos trabalhos, porque o presidente da Comissão, Marcelo Castro (PMDB-PI) está internado, em Brasília, tratando de uma diverticulite.    Cunha anunciou, na abertura da reunião, que convocará novamente o presidente da Pantanal Linhas Aérea, Marcos Sampaio Ferreira, para depor na CPI, na próxima terça-feira. O depoimento estava marcado para segunda-feira, mas o presidente da Pantanal enviou atestado médico para justificar a ausência. Eduardo Cunha afirmou que o atentado médico se referia a estresse e, portanto, Ferreira deve ir depor à CPI.   A CPI tem poderes para exigir a presença do convocado, mesmo sob coerção policial. Além do superintendente de empreendimento e engenharia da Infraero, Armando Schneider Filho, devem ser ouvidos os depoimentos do presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira, e do piloto da TAM, José Eduardo Brosco, que na véspera do acidente pilotou o Airbus que se acidentou no dia seguinte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.