Reprodução/Google Maps
Reprodução/Google Maps

Ataque a carro-forte com explosões e trocas de tiros interdita BR-277 no Paraná

Duas pessoas foram baleadas de raspão; bandidos conseguiram fugir e provocaram explosões e interdição de 5 horas na estrada

Bibiana Borba, O Estado de S.Paulo

29 Julho 2017 | 02h20

A BR-277, que liga Curitiba ao litoral do Paraná, ficou mais de cinco horas interditada após um ataque a um carro-forte na noite desta sexta-feira, 28. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ao menos oito criminosos abordaram o veículo da empresa Proforte com tiros de metralhadora calibre .50 e fuzil 762, por volta das 19 horas, e usaram explosivos para acessar o cofre e levar o dinheiro transportado. 

Um dos vigilantes e um caminhoneiro que passava pela estrada foram baleados de raspão e levados ao Hospital Cajuru, em Curitiba, mas não correm risco de morte. Antes de fugir, o bando também explodiu um dos dois veículos usados no assalto, um Corolla, e espalhou mais explosivos próximo ao quilômetro 38 da rodovia, no sentido litoral. 

Eles usaram caminhonetes Range Rover e S-10 roubadas na fuga e, poucos quilômetros depois, iniciaram mais um tiroteio ao cruzar com uma viatura da Polícia Militar (PM). Os bandidos conseguiram escapar pela segunda vez e bloquearam a BR-277 roubando outros carros, furando pneus e os abandonando na pista. Miguelitos - artefatos usados para estourar pneus - ainda foram espalhados pelo trajeto para evitar a perseguição.

A PRF informou que interditou a estrada em três pontos nos dois sentidos, por segurança, para as buscas, retirada dos veículos e explosivos pelo esquadrão anti-bombas da PM e perícias. As cancelas do pedágio da concessionária Ecovias, no quilômetro 30, ficaram fechadas até em torno da 1 hora deste sábado, 29. O sentido litoral só foi liberado às 2 horas.

Com mais de 12 quilômetros de filas de trânsito parado, a PRF relatou que muitos motoristas dormiram dentro dos veículos e não há previsão de que o fluxo volte ao normal. A região é monitorada por equipes da PM e da PRF durante a madrugada. Até as 2h20, o bando não havia sido localizado e nenhuma prisão relacionada ao crime havia ocorrido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.