Autor de denúncia contra sindicalista é suspeito de homícidio

O ex-diretor do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo Marcos Antônio Coutinho da Silva teve a prisão temporária decretada pela Justiça sob acusação de participação no assassinato do motorista José Leídson Rodrigues, o Polegar. Silva, que denunciou à Polícia Federal os integrantes do sindicato por enriquecimento ilícito e homicídios, está refugiado no Nordeste. Segundo sua advogada, Zilda Galdino Pinheiro, o ex-diretor deverá vir a São Paulo, sob proteção policial, para se defender. Amigo de Silva, Polegar era uma testemunha importante para a apuração da tentativa de homicídio de que o ex-diretor foi vítima. Silva acusou o diretor de saúde do sindicato, Paulo Barbosa dos Santos, o Paulão, de ser responsável pela tentativa de homicídio. Depois da expulsão de Silva, Paulão, preso na Polícia Federal, assumiu o cargo de diretor de saúde. ?O Polegar, que era motorista da Viação Gatusa, foi morto para jogar a culpa no Marcos Antônio. Ele não tem nada a ver com aquele crime, na verdade ordenado pelo Paulão?, afirmou uma testemunha, que preferiu não se identificar. De acordo com ele, Paulão tentou matar Silva para afastá-lo da diretoria de saúde. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), o setor é uma das maiores fontes de propina do sindicato.

Agencia Estado,

10 Junho 2003 | 23h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.