Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Beija-Flor protesta na Sapucaí contra resultado da apuração do carnaval

Apesar de ser uma das favoritas, escola ficou em sétimo lugar, sem direito de participar do desfile das campeãs

Fábio Grellet - O Estado de S. Paulo,

09 Março 2014 | 15h22

RIO - Fora do desfile das escolas de samba campeãs no Rio pela primeira vez desde 1992, integrantes da Beija-Flor protestaram contra o resultado da apuração, durante a exibição que ocorreu ontem à noite na Sapucaí. Uma das favoritas, com um enredo em homenagem ao empresário José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ex-superintendente da TV Globo, a escola ficou em sétimo lugar, pior posição em sua história no Grupo Especial, repetida apenas em 1974, 1975 e 1992. Como só as seis melhores desfilam, a escola de Nilópolis, na Baixada Fluminense, só assistiu à exibição.

No camarote da escola, próximo à concentração, foram expostas duas faixas, onde se lia: "Não desfilamos hoje! Viemos entender o porquê, mas estamos sim entre as campeãs de 2014" e "Uma vez injustiçada, olhai por nós".

O desfile que reuniu, pela ordem, Grande Rio, Imperatriz, União da Ilha, Portela, Salgueiro e a campeã Unidos da Tijuca, foi prestigiado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB). Horas após firmar um acordo que encerrou a greve dos garis, ele demonstrava descontração e permaneceu ao lado da bateria durante a exibição da Portela, da qual é torcedor. Paes vestia uma camiseta onde se lia: "Sou prefeito da cidade mais linda do mundo".

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, também prestigiou o desfile. Ele foi ao camarote de uma cervejaria, onde encontrou o ex-técnico Mário Jorge Zagallo.

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2014 Beija-Flor Sapucaí Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.