Fábio Motta/AE
Fábio Motta/AE

'Bote Cristo na vida', diz papa na acolhida a participantes da Jornada

Em discurso para público estimado em um milhão de pessoas na Praia de Copacabana, Francisco pediu que jovens voltem à espiritualidade; pelo Twitter, disse que a festa foi 'inesquecível'

Wilson Tosta, O Estado de S. Paulo

25 Julho 2013 | 19h30

Atualizado às 10h40 do dia 26/7/2013

RIO - Em contraste com o discurso sobre questões terrenas e brasileiras, como os protestos nas ruas e as injustiças sociais, feito na quinta-feira, 25, de manhã na Favela de Varginha, o papa Francisco apelou à noite, na Praia de Copacabana, para que os fiéis se voltem à espiritualidade. Segundo a organização, o evento reuniu 1 milhão de pessoas. A polícia não divulgou sua estimativa. Na manhã desta sexta-feira, 26, em seu perfil no Twitter, o papa lembrou o evento: "Inesquecível Festa de Acolhida em Copacabana! Que Deus lhes abençoe a todos!".

O pronunciamento da Festa de Acolhida da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) foi marcado por citações da Bíblia e linguagem coloquial. O pontífice recorreu a uma gíria bem carioca - "bote fé" - para conclamar o público a se engajar no cristianismo, deixar as obsessões materiais e trocar a si mesmo por Deus como centro da vida.

Francisco chamou esse processo de "revolução copernicana", em alusão a Nicolau Copérnico (1473-1543), cientista polonês que formulou o heliocentrismo, teoria segundo a qual o centro do universo seria o Sol, não a Terra.

"O que podemos fazer? Bote fé", pediu o santo padre, no discurso em que recorreu à preparação da comida para expor seu pensamento. "A cruz da Jornada peregrinou pelo Brasil inteiro com esse apelo. Bote fé: o que significa? Quando se prepara um bom prato e falta o sal, você então bota o sal; se falta o azeite, então bota o azeite. Botar é colocar, derramar."

O papa afirmou que o mesmo processo ocorre na vida, que também precisaria ser "temperada" com elementos espirituais para ser plena. "Bote fé e a vida terá um sabor novo, terá uma bússola que indica a direção. Bote esperança, e todos os seus dias serão iluminados."

Francisco pediu aos jovens que se perguntassem em quem depositavam confiança - em si próprios ou em Jesus - e propôs uma troca. "Sentimo-nos tentados a colocar a nós mesmos no centro, a crer que (...) ela se enche de felicidade com o possuir, o dinheiro, o poder", declarou. "É verdade: o ter, o dinheiro, o poder podem gerar um momento de embriaguez (...) e nos levam a querer ter sempre mais. Bote Cristo na sua vida (...) e você nunca se decepcionará! A fé realiza na nossa vida uma revolução que podíamos chamar copernicana, porque nos tira do centro e o restitui a Deus."

Francisco recordou a primeira JMJ, em 1987, na Argentina, e pediu um minuto de silêncio em memória às vítimas de um acidente na Guiana Francesa, no qual morreu a jovem Sophie Monnière e outros se feriram.

‘Portunhol’. Por seis vezes, improvisou frases descontraídas, algumas misturando o português com o espanhol. "Sempre ouvi que os cariocas não gostam da chuva e do frio. Mas vocês estão mostrando ser mais fortes!" Também disse ter convidado o papa emérito Bento XVI para a JMJ. "Ele disse: o acompanharei em oração e verei pela televisão. Por isso, nos está vendo." Diplomático, repetiu elogios ao Rio e aos cariocas. "O Cristo Redentor os acolhe e abraça nesta belíssima cidade."

Leia a íntegra do discurso do papa Francisco:

"Jovens amigos,

"É bom estarmos aqui!": exclamou Pedro, depois de ter visto o Senhor Jesus transfigurado, revestido de glória. Queremos também nós repetir estas palavras? Penso que sim, porque para todos nós, hoje, é bom estar aqui juntos unidos em torno de Jesus! É Ele que nos acolhe e se faz presente em meio a nós, aqui no Rio. Mas, no Evangelho, escutamos também as palavras de Deus Pai: "Este é o meu Filho, o Eleito. Escutai-o!" (Lc 9, 35). Então, se por um lado é Jesus quem nos acolhe, por outro também nós devemos acolhê-lo, ficar à escuta da sua palavra, pois é justamente acolhendo a Jesus Cristo, Palavra encarnada, que o Espírito Santo nos transforma, ilumina o caminho do futuro e faz crescer em nós as asas da esperança para caminharmos com alegria (cf. Carta enc. Lumen fidei, 7).

Mas o que podemos fazer? "Bote fé". A cruz da Jornada Mundial da Juventude peregrinou através do Brasil inteiro com este apelo. "Bote fé": o que significa? Quando se prepara um bom prato e vê que falta o sal, você então "bota" o sal; falta o azeite, então "bota" o azeite... "Botar", ou seja, colocar, derramar. É assim também na nossa vida, queridos jovens: se queremos que ela tenha realmente sentido e plenitude, como vocês mesmos desejam e merecem, digo a cada um e a cada uma de vocês: "bote fé" e a vida terá um sabor novo, terá uma bússola que indica a direção; "bote esperança" e todos os seus dias serão iluminados e o seu horizonte já não será escuro, mas luminoso; "bote amor" e a sua existência será como uma casa construída sobre a rocha, o seu caminho será alegre, porque encontrará muitos amigos que caminham com você. "Bote fé", "bote esperança", "bote amor"!

Mas quem pode nos dar tudo isso? No Evangelho, escutamos a resposta: Cristo. "Este é o meu Filho, o Eleito. Escutai-o!" Jesus é Aquele que nos traz a Deus e que nos leva a Deus; com Ele toda a nossa vida se transforma, se renova e nós podemos olhar a realidade com novos olhos, "a partir da perspectiva de Jesus e com os seus olhos" (Carta enc. Lumen fidei, 18). Por isso, hoje, lhes digo com força: "Bote Cristo" na sua vida e você encontrará um amigo em quem sempre confiar; "bote Cristo", e você verá crescer as asas da esperança para percorrer com alegria o caminho do futuro; "bote Cristo" e a sua vida ficará cheia do seu amor, será uma vida fecunda.

Hoje, queria que nos perguntássemos com sinceridade: em quem depositamos a nossa confiança? Em nós mesmos, nas coisas, ou em Jesus? Sentimo-nos tentados a colocar a nós mesmos no centro, a crer que somos somente nós que construímos a nossa vida, ou que ela se encha de felicidade com o possuir, com o dinheiro, com o poder. Mas não é assim!

É verdade, o ter, o dinheiro, o poder podem gerar um momento de embriaguez, a ilusão de ser feliz, mas, no fim das contas, são eles que nos possuem e nos levam a querer ter sempre mais, a nunca estar saciados. "Bote Cristo" na sua vida, deposite n'Ele a sua confiança e você nunca se decepcionará! Vejam, queridos amigos, a fé realiza na nossa vida uma revolução que podíamos chamar copernicana, porque nos tira do centro e o restitui a Deus; a fé nos imerge no seu amor que nos dá segurança, força, esperança. Aparentemente não muda nada, mas, no mais íntimo de nós mesmos, tudo muda. No nosso coração, habita a paz, a mansidão, a ternura, a coragem, a serenidade e a alegria, que são os frutos do Espírito Santo (cf. Gl 5, 22) e a nossa existência se transforma, o nosso modo de pensar e agir se renova, torna-se o modo de pensar e de agir de Jesus, de Deus. No Ano da Fé, esta Jornada Mundial da Juventude é justamente um dom que nos é oferecido para ficarmos ainda mais perto de Jesus, para ser seus discípulos e seus missionários, para deixar que Ele renove a nossa vida.

Querido jovem: "bote Cristo" na sua vida. Nestes dias, Ele lhe espera na Palavra; escute-o com atenção e o seu coração será inflamado pela sua presença; "Bote Cristo: Ele lhe acolhe no sacramento do perdão, para curar, com a sua misericórdia, as feridas do pecado. Não tenham medo de pedir perdão a Deus. Ele nunca se cansa de nos perdoar, como um pai que nos ama. Deus é pura misericórdia! "Bote Cristo: Ele lhe espera no encontro com a sua Carne na Eucaristia, Sacramento da sua presença, do seu sacrifício de amor, e na humanidade de tantos jovens que vão lhe enriquecer com a sua amizade, lhe encorajar com o seu testemunho de fé, lhe ensinar a linguagem da caridade, da bondade, do serviço. Você também, querido jovem, pode ser uma testemunha jubilosa do seu amor, uma testemunha corajosa do seu Evangelho para levar a este nosso mundo um pouco de luz.

"É bom estarmos aqui", botando Cristo na nossa vida, botando a fé, a esperança, o amor que Ele nos dá. Queridos amigos, nesta celebração acolhemos a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Com Maria, queremos ser discípulos e missionários. Como Ela, queremos dizer "sim" a Deus. Peçamos ao seu coração de mãe que interceda por nós, para que os nossos corações estejam disponíveis para amar a Jesus e fazê-lo amar. Ele está esperando por nós e conta conosco! Amém"

Mais conteúdo sobre:
papa jornada mundial da juventude

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.