1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Brasileira é assassinada a tiros em loja nos Estados Unidos

- Atualizado: 05 Janeiro 2016 | 10h 50

Ex-marido é o principal suspeito de ter matado Alessandra de Moraes Emiliano; ele foi encontrado morto no dia seguinte ao crime

SCHERERVILLE - A brasileira Alessandra de Moraes Emiliano, de 37 anos, foi morta a tiros dentro da loja onde trabalhava em Schererville, no Estado de Indiana, nos Estados Unidos, no último sábado, 2. O principal suspeito é o ex-marido da vítima, o norte-americano Richard Kalecki, de 49 anos, encontrado morto no dia seguinte em um cemitério de Calumet, cidade vizinha.

Segundo a imprensa americana, a polícia local trabalha com a hipótese de que Kalecki tenha cometido suicídio. O casal havia se separado em 2012 após o americano ser acusado de praticar abuso sexual infantil. Ele deveria se apresentar à Justiça neste ano.  

Principal suspeita é que Alessandra de Moraes Emiliano, de 37 anos, foi morta por ex-marido 

Principal suspeita é que Alessandra de Moraes Emiliano, de 37 anos, foi morta por ex-marido 

Para a polícia, imagens de câmeras de segurança da loja e relatos de testemunhas foram as principais provas de que Kalecki matou a ex-mulher. Policiais procuraram o suspeito na casa onde morava, horas depois da comunicação do assassinato, mas não o encontraram.

De acordo com as investigações, ele havia alugado um carro modelo Toyota Corolla, vermelho, com placa de Ohio, na manhã de sábado, e os policiais chegaram a emitir um alerta de aviso caso o veículo fosse visto. 

Alessandra era natural de Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio de Janeiro, e tinha uma filha de 18 anos, com quem morava nos Estados Unidos. A família da vítima no Brasil faz uma campanha nas redes sociais para arrecadar dinheiro para trazer o corpo de Alessandra ao País.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em BrasilX