1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Brasileiro fatura alto em Miami com a paixão dos americanos por pets

09 Maio 2014 | 10h 12

O carioca Jarbas Marcondes Godoy Júnior saiu da casa dos pais aos 16 anos, praticamente expulso, por ser gay.  “Era gay, jovem e hippie”, diz Jarbas, que perambulou pelas ruas do Rio de Janeiro e de São Paulo por um ano e meio até chegar em Arembepe, uma aldeia de pescadores na Bahia.  Na época, no fim dos anos 60, o local se tornou a primeira comunidade de jovens alternativos, com visitas frequentes de artistas brasileiros e internacionais, como Janis Joplin e Mick Jagger.

Foi lá que ele conheceu o grande amor de sua vida, uma mulher, a socialite Jerusa Carvalho, que foi a inspiração para a personagem de mesmo nome de Gabriela, Cravo e Canela, obra de Jorge Amado.

Jerusa convivia com grandes nomes, como Vinicius de Moraes, que chamava o jovem Jarbas de “gigolô gay”, brinca hoje o cabeleireiro de cachorros brasileiro mais famoso de Miami.

Já no fim dos anos 70, Jerusa, 23 anos mais velha que Jarbas, tinha recurso financeiro suficiente para mantê-los. Sempre apaixonado pelos cães, Jarbas criava Poodles e abriu uma butique de cachorros na Bahia, em 1976.  Mas durou apenas três anos.

“Eu tinha 25 anos e minha esposa ajudava com as finanças.  Então, se eu ia à loja e não tinha clientes, eu ia para a praia”, lembra.  “Hoje, acho que mandaria todos os empregados para casa e ficaria na loja tentando ganhar dinheiro para pagar o aluguel.” 

Em 79, quando fechou a loja, pensou que jamais entraria em um novo negócio que envolvesse animais, e o casal saiu em viagem pela América Latina.

Oito meses depois, prestes a voltar para o Brasil, já sem dinheiro, eles resolveram fazer uma parada em Miami, onde morava um tio de Jarbas.

Num passeio, em Coconut Grove, viram uma placa numa pequena lojinha de cachorro, contratando “cabeleireiro”.  Ele fez um teste em um Poodle grande, passou e começou a trabalhar lá.  Ficou uns meses e acabou retornando para o Brasil.  

Mas a readaptação não foi das melhores e a dona do salão em Miami também sentia falta do novo funcionário e pediu que voltasse. Aceitou e trabalhou lá até 1986, quando o salão fechou e ele abriu seu próprio, The Dog from Ipanema.

Hoje, a loja tem 14 funcionários, atende cerca de 40 animais por dia e tem um faturamento de US$ 1,2 milhão ao ano, que vem crescendo gradualmente desde a inauguração - seguindo a tendência do mercado americano de produtos para animais de estimação.

A previsão do “American Pet Products Association” - uma organização que coleta dados sobre este setor desde 1996, quando os gastos eram US$ 21 bilhões - é que o consumo com animais domésticos nos Estados Unidos aumente de US$ 55,7 bilhões, no ano passado, para quase US$ 60 bilhões este ano.

No Dog from Ipanema, cada tosa varia de US$ 80 a US$ 300 e seus produtos são de primeira linha.  Tem uma caminha de cachorro que custa US$ 1.100 e uma das bolsas favoritas dos clientes sai por US$ 507.

Jarbas diz que tem uma cliente que quase todo mês compra uma bolsa nova para carregar seu Chihuahua.  Mas ele destaca que as maiores vendas ainda são para brasileiros.

Tem uma brasileira que sempre que está em Miami passa na loja. “A cada visita, ela gasta mais de US$ 1 mil com brinquedinhos para sua cachorra Princesa”, diz Jarbas, que hoje, aos 62 anos, reconhece que sua maior e verdadeira riqueza é sua paz interior.

Revelações. Depois da vida desregrada na juventude dos anos 60 e 70 – drug, sex and alcohol, como se diz nos Estados Unidos - foi em Miami que Jarbas se deparou com grandes revelações de sua infância.  

Foi durante a terapia que precisou fazer como parte do processo do curso de Psicologia na Universidade de Miami – que fez com 90% de bolsa, depois de correr atrás do diploma escolar, afinal não tinha terminado o colegial - que ele descobriu dentro de si, entre outras, a memória de que seu tio tinha abusado física e sexualmente dele.

Jarbas esclarece que perdoou o familiar e todos os que lhe fizeram mal na vida e que prefere valorizar os que lhe fizeram bem, os anjos da guarda que o protegeram durante sua trajetória até aqui.

Mas nas suas palestras nos Estados Unidos e no mundo, é, principalmente, a sua história que serve de inspiração para outros na mesma profissão.

“Eu passei a fazer a comparação de um cachorro tosado com uma criança sendo abusada.  O cachorro não pode falar e a criança também não”, diz ele.  “Eu acho que as coisas que me fizeram sofrer quando criança abriram uma parte de mim para os animais e eu sempre achei que devo a eles a minha felicidade, o fato de eu poder ser feliz”, diz. 

E é esta procura pelo bem-estar, compreensão com os animais e seres humanos que ele transmite ao mundo e sempre buscou ao seu redor, mesmo nos momentos mais difíceis de sua vida.

Jerusa foi a única mulher que Jarbas amou, mas depois de 23 anos juntos a paixão virou uma grande amizade que durou até ela falecer de câncer aos 73 anos.   

Hoje é com Al Soares, seu companheiro e parceiro na loja, que ele vem dividindo seu coração por mais de uma década. Juntos, eles construíram um jardim de bonsai no quintal da casa, um oásis particular para desfrutarem a serenidade de uma vida plena.

Jarbas adora sua casa, sua loja, seus clientes e, especialmente, os animais que chegam diariamente para tomar banho e cortar o pelo. 

E é aqui também que esse cabeleireiro de cachorros passeia num Porsche amarelo com a placa oficial “Ipane” (não foi permitido mais do que cinco letras para completar Ipanema) e diz que não mudaria nada na sua vida.

 

 

“Acho que nunca aceitei a infelicidade como uma coisa natural”, diz.  “Sei que ela, às vezes, me cercava, mas sempre busquei ser feliz.”

No vídeo, Jarbas Godoy conta o segredo do sucesso com seus clientes – animais e humanos:

A butique The Dog from Ipanema faz sucesso em Miami. Conheça o dono, Jarbas Godoy, cabeleireiro dos bichinhos. from Chris Delboni on Vimeo.

Serviço:

The Dog from Ipanema

Telefone em Miami: (305) 663-1712 

Endereço: 7230 SW 57th Avenue, South Miami FL 33143

Estacionamento: um pouco difícil, parquímetro na rua

Funcionamento: segunda das 9h às 18h; terça a sábado, das 8h às 19h, e domingo, das 10h às 17h

Mais informações: http://www.thedogfromipanema.com/

Facebook: https://www.facebook.com/The.Dog.from.Ipanema

Twitter: @chrisdelboni