Brasileiro se entrega em Madri por assassinato de taxista

Segundo a polícia madrilenha, características do detido coincidem com as do suspeito de matar argentino

Efe,

26 Outubro 2007 | 14h45

Um cidadão brasileiro se entregou nesta sexta-feira, 26, à polícia em Madri e disse ser responsável pelo assassinato do taxista Aníbal García, de origem argentina, que morreu degolado enquanto trabalhava, no último dia 19, na capital da Espanha.   A chefia de polícia de Madri informou que as características do detido, cujo nome não foi divulgado, coincidem com as do suspeito de matar o taxista, de 45 anos.   O cerco policial estabelecido para conseguir sua detenção, após averiguada sua identidade, domicílio e zona onde se movimentava, foi o motivo pelo qual o suposto homicida se entregou, em uma delegacia do bairro de Hortaleza (norte de Madri), segundo a polícia. O Grupo VI de Homicídios, encarregado da investigação, ficou com o suspeito.   Um dia depois do assassinato, os taxistas de Madri fizeram uma greve de 12 horas pedindo mais medidas de segurança, e as autoridades decidiram criar um grupo de trabalho junto à associação desses profissionais para estudar novas fórmulas, como a instalação de câmeras de vigilância dentro dos veículos.

Mais conteúdo sobre:
Assassinato Madri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.