1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cabral se reúne nesta segunda para definir atuação das tropas federais

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

23 Março 2014 | 15h 45

O governador do Rio precisa demonstrar oficialmente que as tropas estaduais não são suficientes para garantir a segurança na capital fluminense

RIO - O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB) deve apresentar nesta segunda-feira, 24, os motivos para uso das tropas federais nas favelas cariocas. Em reunião com autoridades, Cabral precisa admitir oficialmente que as forças estaduais não são suficientes para patrulhar e garantir a segurança em determinadas áreas da capital fluminense. Também será preciso definir a forma de atuação das tropas.

Na sexta-feira passada, 21, a presidente Dilma Rousseff já havia sinalizado a liberação das tropas para conter a onda de violência contra as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio.

Veja mapa com informações sobre ataques a UPPs no Rio desde o início do ano:

Visualizar Ataques a UPPs em um mapa maior

O governador do Rio se reunirá com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o chefe do Estado-Maior, o general de Exército José Carlos de Nardi, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e a cúpula de segurança do Estado para articular as diretrizes da atuação. O encontro será às 10h, no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), no centro do Rio.

Somente depois da apresentação de documento que mostra que as forças estaduais são insuficientes é que a autorização deverá ser concedida. Também será preciso definir as áreas e o prazo de atuação, que poderão ser prorrogados. Nesses locais, as polícias estaduais estarão submetidas às tropas federais.

Na reunião desta segunda, o secretário Beltrame apresentará um relatório da atual situação da segurança no Rio, inclusive com os ataques às Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) e a articulação entre traficantes que dominavam o tráfico de drogas nos morros cariocas. Também será definido quem atuará no Estado, se a Força Nacional de Segurança ou as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) e, a partir desta decisão, quem será o comandante da ação. Caso mais de uma força federal seja acionada, o comando da operação será do general de Nardi.

Nas favelas, as tropas federais farão tanto no patrulhamento quanto a busca por traficantes, armas e drogas. Nessa atuação, os agentes deverão seguir o Manual de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), aprovado em dezembro de 2013, com diretrizes e orientações sobre a conduta a ser seguida.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo