Caminho do papa até o centro do Rio ainda está sem reforço policial

Ao deixar aeroporto, pontífice poderá fazer dois trajetos; em apenas um deles há apenas algumas viaturas

Marcelo Gomes - O Estado de S.Paulo

22 Julho 2013 | 14h22

Rio - A poucas horas para o papa Francisco desembarcar na base aérea do Galeão, na zona norte do Rio, os dois possíveis trajetos que o pontífice percorrerá de carro fechado até o centro da cidade não têm qualquer reforço no policiamento. A chegada do papa está prevista para as 16 horas, desta segunda-feira, 22.

A reportagem do Estado percorreu no início da tarde a Avenida Brasil e a Linha Vermelha, as duas vias expressas que ligam a Ilha do Governador ao centro. Na Brasil, havia apenas algumas viaturas da Polícia Militar estacionadas nos acessos às favelas do Complexo da Maré, como de costume. Já na Linha Vermelha, a reportagem não avistou nenhum carro da polícia circulando no trecho. Na manhã desta segunda, durante entrevista coletiva, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou que "o papa Francisco está totalmente seguro".

A organização da Jornada Mundial da Juventude ainda não divulgou qual caminho será escolhido. Após chegar na Catedral, o pontífice desfilará num papamóvel aberto (sem blindagem) por diversas ruas do centro. No Teatro Municipal, Francisco embarcará novamente em carro fechado até o 3º Comando Aéreo Regional (Comar), na Praça 15, onde embarcará num helicóptero que o levará ao Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na zona sul, sede oficial do governo do Estado. No palácio, o papa será recepcionado pela presidente Dilma Rousseff e outras autoridades.

Mais conteúdo sobre:
papa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.