Candidata ganha linha especial de maquiagem

Profissionais desenvolveram produtos para Marina, que é alérgica a cosméticos

Roldão Arruda, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2010 | 00h00

A candidata Marina Silva, do PV, sempre avessa ao uso de maquiagem, vai fechar o primeiro turno da campanha com o rosto mais colorido. Os responsáveis por isso são os profissionais que a acompanham nas gravações e debates na TV e o seu marido, o técnico agrícola Fábio Lima.

Assim que começou a campanha, a equipe encarregada de cuidar imagem da senadora topou com dois problemas sérios: ela se recusava a utilizar o teleprompter, equipamento que permite ao candidato ler textos olhando para a câmera, e fazia cara feia toda vez que a chamavam para a maquiagem. Não porque desgostasse de cores no rosto, mas pelo fato de ser alérgica a quase todos os cosméticos conhecidos. Não lhe serviam nem os produtos da Natura - que tem entre seus controladores o empresário Guilherme Leal, candidato a vice na chapa verde.

No caso do teleprompter, logo convenceram Marina de que não perderia naturalidade se o utilizasse. Hoje ela é entusiasta do equipamento. Quanto à maquiagem, exigiu mais trabalho. Os profissionais tiveram que pesquisar e descobrir produtos que não irritassem sua pele.

Nos lábios começaram a passar uma mistura de beterraba com azeite de oliva, que substitui o batom e garante um brilho semelhante ao do gloss. Para reduzir o brilho do rosto sob os refletores da TV, recorreram a produtos à base de água, alguns deles provenientes da Natura. E assim por diante.

Marina aceitou, mas só ficou à vontade depois que o marido declarou, ao contrário do clássico de Dorival Caymmi, que o rosto que Deus lhe deu ficou mais bonito depois de pintado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.