Candidato a pé de valsa

Serra enfrentou na campanha desafio de romper com fama de carrancudo e mostrar mais simpatia

, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2010 | 00h00

Com fama de carrancudo, o candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, esforçou-se durante a campanha para mostrar uma imagem mais simpática para o eleitor. Durante os três meses da disputa eleitoral, o presidenciável tucano tinha sempre pronta a resposta para quem questionava sobre sua fama de sério ou antipático. "Às vezes me acham feio. Minha neta me acha um Adônis", respondia o candidato. "Mas é uma cara só."

Uma das formas usadas para quebrar a sisudez foi dançar durante encontros, caminhadas e eventos da campanha. Serra "pé de valsa" tentou vários estilos, do forró ao rebollation - alguns, obviamente, com mais sucesso e desenvoltura que outros.

Já na fase de pré-campanha, ainda em abril, em sua primeira viagem para Bahia, o tucano arriscou um forró em Salvador. Repetiu a dose em julho, no Ceará. Em visita ao Estado, Serra tentou acompanhar os passos das quadrilhas, em um campeonato na cidade de Massapê.

Em Manaus, o tucano inovou. Em uma caminhada pela capital do Amazonas, em agosto, acabou entrando em uma academia de ginástica. Lá, alunos se exercitavam em minitrampolins individuais, chamados jumps. O candidato não titubeou. Convidado por uma aluna, acabou subindo em um equipamento, roubando a cena da aula.

A imagem de Serra na academia foi parar no Twitter e no YouTube. Com milhares de acessos, acabou transformando-se em um dos vídeos mais vistos da atual campanha eleitoral.

Ontem, já na reta final da campanha, Serra voltou a dançar durante uma caminhada na cidade de Osasco, na Grande São Paulo. Desta vez, acompanhado do candidato ao governo de São Paulo, pelo PSDB, Geraldo Alckmin, chacoalhou o corpo ao som do hit "Ah, muleke", do programa humorístico Pânico, da RedeTV!.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.