Carrefour é condenado por cliente espiar mulher em provador

Homem usava espelho para ver arquiteta provando roupa no Rio; mercado e cliente terão de pagar R$ 3 mil

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

05 Novembro 2009 | 16h02

Uma cliente que foi espionada num provador do Carrefour de Sulacap, na zona oeste do Rio de Janeiro, vai receber indenização do supermercado e do homem que a espionou. A decisão é do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), para quem a arquiteta Érica Dantas Espírito Santo passou por constrangimento no supermercado.

 

Ela foi ao Carrefour para comprar uma roupa, em 2006, e, enquanto provava uma camiseta, percebeu algo brilhando no chão. Ao chegar perto, ela viu que um homem usava um espelho para tentar vê-la se despindo.

 

Segundo o TJ-RJ, Joseilton Sousa da Silva terá que pagar R$ 1 mil para Érika, enquanto o Carrefour foi condenado a pagar R$ 2 mil. Ambos lados podem recorrer da decisão.

Mais conteúdo sobre:
Carrefour Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.