Cartas

Constrangimento Em 25/9 funcionários da Eletropaulo foram a minha residência para cortar o fornecimento de energia por falta de pagamento das contas referentes aos meses de maio e agosto. Mas as contas haviam sido pagas em 28/8 (a de agosto, na data de vencimento) e os recibos estavam arquivados em meu escritório. Pedi que contatassem a Eletropaulo para confirmar a quitação ou que informassem o número do fax para envio dos comprovantes. Os funcionários, no entanto, disseram que tinham ordem de corte e era para eu pedir o religamento. Entrei em contato com a Eletropaulo e fiquei surpresa ao receber a confirmação do pagamento (baixa no dia 1.º/9). A funcionária informou que o corte foi feito porque a ordem foi dada antes dessa data e que a taxa para religar era de R$ 32,87. Eu atrasei a conta de maio, mas, tão logo recebi o aviso de pendência na cobrança de agosto, fiz o pagamento. É absurdo o departamento financeiro não informar ao operacional sobre a quitação de débitos do cliente depois de 25 dias da baixa do sistema e quase 30 dias do pagamento. A Eletropaulo usa deste novo recurso para faturar mais? Quando teremos serviços condizentes com as altas tarifas pagas? PATRICIA LOBÃO C. PERES São Paulo A AES Eletropaulo informa à sra. Patrícia que, na ocasião do corte, as contas pagas que ainda não constavam no sistema também não foram apresentadas à equipe encarregada do serviço, por esse motivo houve a suspensão no fornecimento de energia. A distribuidora não cobrará a taxa de religação de energia elétrica. Descarga elétrica Moro numa vila de 16 casas na Rua Umbelino Bueno de Carvalho, na Barra Funda. Na entrada da rua há uma árvore de cerca de 3 metros de altura, e toda vez que venta forte ela balança e faz com que os fios de alta-tensão se encostem, provocando um estouro. A AES Eletropaulo diz não poder fazer nada e que não devemos tocar na árvore, pois ela pode estar eletrificada. A empresa também informou que a responsabilidade da poda é da Prefeitura e que deveríamos fazer uma reclamação no 156. Dois protocolos já foram efetuados, mas os prazos definidos por eles não foram cumpridos e nada foi resolvido. A situação é de emergência, dois televisores já foram queimados, algumas casas estão com sobrecarga e estamos sofrendo risco de perder a vida, já que a qualquer momento alguém poder levar um choque por descarga elétrica. JULIANA MATHEUS São Paulo A AES Eletropaulo informa à sra. Juliana que a poda dos galhos da árvore foi realizada no dia 1.º/10. A concessionária ressalta que tem autorização ambiental da Prefeitura apenas para podar emergencialmente os galhos de árvores que interferem na rede elétrica. A distribuidora esclarece que outros serviços de podas e/ou remoção de árvores são de responsabilidade das subprefeituras. Horas no telefone Estou há mais de quatro meses tentando cancelar minha linha telefônica! É um absurdo eu ter de ligar todo o mês para solicitar a análise de cobrança indevida, ter de aguardar por oito dias úteis o "julgamento" do meu caso e depois retornar a ligação para saber o resultado. Há três meses espero o ressarcimento de uma conta paga em maio, pois a Telefônica julgou "improcedente o seu não-pagamento". Por medo de ter o nome sujo, paguei a conta e solicitei outra análise, que foi considerada "procedente", mas até hoje não consegui o valor de volta. Só quero cancelar minha linha e que o valor pago indevidamente seja devolvido. BRUNA A. RODRIGUES São Paulo A situação da sra. Bruna foi regularizada. A empresa lamenta e pede desculpas pelos transtornos causados, ASSESSORIA DE IMPRENSA DA TELEFÔNICA. A leitora comenta: em 27/8 recebi uma ligação da Telefônica se desculpando pelo ocorrido. A empresa informou que a minha linha seria cancelada no mesmo dia; que o valor pago indevidamente poderia ser retirado no Banco do Brasil no dia 12/9; e que outra conta de telefone teria sido gerada pelo sistema indevidamente. Eu deveria ligar no 10315 quando a conta chegasse para solicitar o cancelamento. Fui ao banco no dia indicado, peguei fila, aguardei a minha vez e, quando fui atendida, o caixa me informou que a Telefônica não havia disponibilizado nada em meu nome. Mais uma vez passei por constrangimento desnecessário. A única coisa que prometeram e fizeram foi cancelar a minha linha. Até quando o governo permitirá que a Telefônica ofereça esse tipo de serviço à população?

O Estadao de S.Paulo

09 Outubro 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.