Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Carvalho minimiza problemas de organização da Jornada Mundial da Juventude

Ministro diz que 'as coisas estão funcionando' e critica imprensa

Mariana Durão, O Estado de S. Paulo

27 Julho 2013 | 11h03

RIO - O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, minimizou neste sábado os problemas de organização ocorridos durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio. Para Carvalho, as questões de logística são próprias de um evento que reúne quase 2 milhões de pessoas. Ao contrário do prefeito do Rio, Eduardo Paes, que afirmou na sexta-feira que a nota para a organização do evento “fica mais perto de zero do que de dez”, o ministro deu nota oito para a JMJ, “no mínimo”.

“As coisas estão funcionando. Este aqui é o maior estresse que a cidade poderia sofrer. Nem a Copa do Mundo nem as Olimpíadas vão trazer tanta gente”, afirmou Carvalho ao Estado, ao chegar para o encontro do papa Francisco com autoridades e sociedade civil, no Theatro Municipal. Ainda segundo Carvalho, é impróprio avaliar a infraestrutura da cidade por um evento que foge do seu cotidiano.

O ministro aproveitou para criticar a imprensa, que, segundo ele, tem focado pequenos problemas da JMJ e tirado o “clima de vitória” do evento.Ao 12h30, Carvalho e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vão se reunir com o chefe da segurança do papa, para discutir o esquema de saída de Copacabana, hoje à noite, após a vigília, e amanhã de manhã, após a missa de envio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.