Casa Civil barra Silas Brasileiro em cargo na Agricultura

Indicado pelo ministro da Agricultura, Wagner Rossi, para ser o secretário executivo da pasta, o ex-deputado Silas Brasileiro (PMDB-MG) foi barrado pela Casa Civil. Fontes da Esplanada dos Ministérios relatam que há preocupação com um processo de improbidade administrativa de quando ele era prefeito de Patrocínio, município de Minas Gerais. Procurado por telefone, o deputado não retornou.

Célia Froufe, O Estado de S.Paulo

05 Março 2011 | 00h00

É a segunda derrota seguida de Brasileiro. A primeira foi a proibição de sua candidatura à Câmara, pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais - o pedido foi negado com base na Lei da Ficha Limpa, pelo mesmo episódio. O ex-deputado obteve liminar, concorreu e não foi eleito.

A ida de Brasileiro para a Agricultura era dada como certa até a divulgação, pelo Diário Oficial da União de ontem, do indicado para o cargo - Milton Elias Ortolan, chefe de gabinete, que assumiu esse cargo logo após Wagner Rossi substituir o ministro Reinhold Stephanes. Gerardo Fontelles, que era o secretário executivo, passará a ser assessor especial do ministro.

Paulista de Americana, Ortolan é servidor público e administrador de empresas. Integra o conselho fiscal da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o conselho de administração da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), estatais ligadas ao ministério. Além disso, também faz parte do conselho gestor do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA).

Formado na Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Campinas, Ortolan foi também secretário de Educação em Americana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.