1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Chance de furacão atingir EUA cancela e atrasa voos no Brasil

Gheisa Lessa e Pedro da Rocha - O Estado de S. Paulo

29 Outubro 2012 | 10h 28

Voos de todo o País com destino à costa Leste americana podem ser prejudicados; Anac recomenda confirmar viagem antes de sair de casa

Atualizado às 17h57

 

SÃO PAULO - Voos de aeroportos de todo o País, que devem deixar o Brasil com destino aos Estados Unidos e região, podem ser cancelados ou atrasados por conta da possibilidade do furacão Sandy atingir a costa leste americana, afirma a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Por essa razão, a Anac alerta os passageiros para que, antes de saírem de casa, confirmem com a companhia aérea contratada o horário do voo e se ele foi mantido.

 

Entre os aeroportos internacionais de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, sete decolagens haviam sido canceladas até as 18h, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Nos três aeroportos, cinco aviões vindos dos EUA pousaram nesse horário e havia três atrasos. Outros 20 com destino aos EUA ou procedentes do país estão previstos para esta segunda.

 

Cumbica (SP). Dois voos procedentes de Nova York - um da TAM Linhas Aérea e outro da Delta Airlines - já aterrissaram no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, na manhã desta segunda, afirma a Infraero. Um avião, da Delta Airlines, tem pouso confirmado e esperado para as 21h20.

 

Deveriam deixar o aeroporto, ainda hoje, seis voos com destino à Nova York. Entre eles, quatro já estão cancelados - dois da American Airlines, um da United Airlines e um da TAM. Dois voos da TAM com partida de Nova York também foram cancelados.

 

Galeão (RJ). Dos oito voos que devem deixar o Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, há um cancelado - da American Airlines. Apenas um avião - da TAM - está com decolagem confirmada, com destino a Orlando, na Flórida. Os outros quatro voos - dois devem seguir para Miami, um para Washington e outro para Atlanta - estão apenas previstos, sem confirmação das companhias aéreas, de acordo com a Infraero.

 

Dos 10 voos que devem chegar dos EUA no País nesta segunda, dois já aterrissaram - um da Delta Airlines, vindo de Atlanta, e outro da TAM, vindo de Nova Iorque. Dois voos - da American Airlines, que partiram de Miami - estão atrasados. Devem aterrissar ainda hoje, no Aeroporto do Galeão, seis aviões vindos dos EUA. Um que deve decolar de Houston, no Texas, outro de Washington, um de Miami, dois de Panama City e um da Carolina do Norte.

 

Juscelino Kubitschek (DF). Há quatro decolagens previstas, para esta segunda, com destino aos EUA no Aeroporto Internacional de Brasília. Apenas uma aeronave - da American Airlines - com destino a Miami, está com saída atrasada. Ela deveria ter partido às 11h15, mas a previsão da companhia é que decole às 18h15. Os outros três voos - da TAM, com destino a Miami, da Delta, com destino a Atlanta e da Copa Airlines, com destino a Panama City - continuam previstos, mas sem confirmação das companhias aéreas.

 

Um avião da American Airlines pousou nesta manhã no aeroporto. O voo aconteceu sem complicações, afirma a Infraero. Há mais três chegadas previstas ao longo deste dia, de acordo com a Infraero. Duas de Miami - da TAM e da American Airlines -, uma de Panama City e outra de Atlanta.

 

Direitos dos Passageiros. Diante das chances de adiamentos, a Anac também informa que vai monitorar a prestação de assistência aos passageiros das empresas de aviação.

 

Em casos de atrasos, o transportador tem dever de assegurar a assistência material ao passageiro: acesso à comunicação a partir de uma hora de atraso, e à alimentação, a partir de duas horas de atraso. Passadas quatro horas de atraso, o passageiro deve receber acomodação ou acesso a um translado para aqueles que estiverem na localidade da residência.

 

Caso o voo seja cancelado, o passageiro tem duas opções: reacomodação em outro voo ou reembolso - do valor integral pago - da passagem aérea.

 

As obrigações, estão previstas na resolução 141, de 2010.

 

EUA em alerta. Todo o transporte público de Nova York ficou fechado no último domingo por determinação do governo do Estado e da prefeitura da cidade. Companhias aéreas, ao redor da costa Leste dos EUA, cancelaram voos neste segunda-feira. O prefeito Michael Bloomberg também ordenou a evacuação de meio milhão de pessoas. A população pode ir para abrigos da prefeitura - animais de estimação também podem ser levados.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo