Divulgação / Secretaria de Segurança
Divulgação / Secretaria de Segurança

Chefe do Comando Vermelho é preso no Paraguai

Luís Cláudio Machado foi preso em um bairro de classe média de Assunção, no Paraguai; ao tentar fugir, o traficante fraturou os pés

Clarissa Thomé , O Estado de S. Paulo

23 Dezembro 2014 | 15h40

O traficante Luís Cláudio Machado, o Marreta, um dos chefes do Comando Vermelho, foi preso na manhã desta terça-feira, 23, num bairro de classe média alta em Assução, no Paraguai. Marreta é acusado de estar à frente de guerras entre facções criminosas e foi preso numa ação conjunta da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança e da Polícia Federal.

De acordo com os agentes que participaram da operação, o traficante coordenava do Paraguai a atuação do Comando Vermelho e a distribuição de armas e drogas para favelas dominadas pela facção. Marreta é apontado ainda como o responsável por ordenar confrontos contra policiais e ataques às sedes de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs).

O criminoso foi preso em uma casa de luxo no bairro de Ykua Sati, na cidade de Assunção, no Paraguai, após quatro dias de diligências. Ele tentou fugir, pulando do segundo andar da casa e o muro divisório de mais de dos metros de altura nos fundos do imóvel. Foi preso enquanto tentava se esconder em uma casa vizinha. Durante a fuga, Marreta feriu os pés e recebeu atendimento médico no local mesmo.

Na casa com o traficantes, estavam duas mulheres e uma criança, que estão sendo identificadas pelo Setor de Imigração Paraguaio. Na casa, foi apreendido um cofre com dólares, reais e guaranis, mas o montante apreendido não foi revelado. O traficante será transferido para o Rio de Janeiro assim que forem cumpridos os trâmites para sua expulsão do Paraguai.

Marreta é conhecido pelo perfil violento e acusado de ter liderado guerras entre facções nos últimos anos, nas zonas norte e oeste. Ele é citado no inquérito que apurou uma invasão ao Morro dos Macacos, em 2009, em que um helicóptero da Polícia Militar foi derrubado, matando dois policiais. Ele fugiu do Instituto Penal Vicente Piragibe em fevereiro de 2013, quando escapou por um túnel ligado à tubulação de esgoto do presídio. Se instalou no Complexo do Lins, onde comandou o tráfico de drogas até a instalação da UPP,  em novembro do ano passado. O Disque Denúncia havia oferecido recompensa de R$ 5 mil por informações sobre seu paradeiro. 

Mais conteúdo sobre:
Rio Paraguai Comando Vermelho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.