Diórgenes Pandini/Diário Catarinense
Diórgenes Pandini/Diário Catarinense

Chuva em SC deixa 3 mortos; Florianópolis decreta emergência

Um homem ainda está desaparecido; prefeitura chegou a recomendar que moradores evitem sair de casa

Aline Torres e Marcone Tavella, especiais para o Estado

11 Janeiro 2018 | 11h11
Atualizado 13 Janeiro 2018 | 00h31

FLORIANÓPOLIS - As fortes chuvas que atingiram Santa Catarina entre esta quarta-feira, 10, e quinta-feira, 11, deixaram pelo menos três mortos e um desaparecido. Segundo atualizações da Defesa Civil do Estado nesta sexta-feira, 12, 1.749 pessoas estão desalojadas e 158, desabrigadas.

Há registro de estragos em 23 cidades, sendo que Florianópolis foi o município mais afetado. A prefeitura da capital recomendou que moradores fiquem em casa e decretou situação de emergência.

+++ Verão ou inverno? São Paulo tem janeiro com capa e casaco

Valcioni Luiz da Silva, de 59 anos, foi arrastado pela enxurrada na capital, bateu com a cabeça no chão e não resistiu. Em São João Batista, na Grande Florianópolis, Gabriele Lopes, de 8 anos, morreu nesta quarta, depois que uma árvore caiu sobre o telhado da garagem onde brincava. A irmã da vítima, de 13 anos, foi atingida, mas não teve ferimentos graves. 

+++ Chuvas colocam toda a cidade de São Paulo em estado de atenção

De acordo com o Corpo de Bombeiros, um homem de 49 anos, morador do Morro do Quilombo, em Florianópolis, que estava desaparecido foi encontrado morto nesta sexta-feira por volta das 13 horas próximo a um mercado em uma área alagadiça.

Em Balneário Camboriú, no litoral norte do Estado, a corporação continua as buscas por um haitiano de 34 anos que sumiu na noite de quarta-feira depois de ter sido arrastado pela correnteza na direção de um bueiro.  Ele tentava desobstruir a tubulação fluvial na residência onde trabalhava como caseiro, quando caiu e foi arrastado pela correnteza.

+++ Verão tem opções de piscinas para se refrescar em São Paulo

A cidade de Florianópolis já registra quase três vezes a precipitação esperada para o mês de janeiro, que varia entre 150 e 170 milímetros. Do início da semana até as 7 horas desta quinta, foram 400 mm de chuva.

Os principais acessos da capital, de norte a sul, estavam parcialmente interditados nesta quinta. O asfalto em um trecho da Rodovia SC-401, que dá acesso ao norte da ilha, cedeu no fim da manhã desta quinta e uma cratera se abriu. Nas ruas, pessoas caminhavam com água até a cintura. Só 40% da frota de ônibus operou nesta quinta em Florianópolis. 

Amilton Izidoro, de 56 anos, morador de Sambaqui, no oeste da ilha, trabalhou a noite inteira nesta quarta para evitar que a água da chuva invadisse sua casa. “Acordei às 2 horas assustado e vi que a água tinha tomado nosso terreno, estava a uns 20 centímetros de altura e começava a entrar na nossa casa.”

Na capital, dois abrigos foram improvisados para os desalojados. No município de Florianópolis, foram entregues itens de assistência humanitária, como água, kits de limpeza e higiene pessoal, cestas básics, colchões e kits de acomodação.

A prefeitura emitiu comunicado, recomendando que moradores ficassem em casa. Também decretou situação de emergência nesta quinta. O governador Raimundo Colombo (PSD) liberou R$ 3 milhões para reparos emergenciais. 

 

Mais chuva

A previsão para Santa Catarina é de mais chuva pelo menos até domingo, segundo a Climatempo. Em São Paulo, Minas e Rio também há risco de temporais hoje. Nesta quinta, a chuva deixou a capital paulista em estado de atenção para alagamentos. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.