Cid Gomes é reeleito governador; Tasso perde vaga no Senado

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), foi reeleito ontem, com mais de 61% dos votos válidos. De quebra, ele também elegeu os dois senadores aliados: Eunício Oliveira (PMDB), com cerca 36% dos votos, e José Pimentel (PT), com 32%. Ambos desbancaram o senador Tasso Jereissati (PSDB), que estava em terceiro com apenas 23% dos votos. Foi a primeira derrota de Tasso nas urnas desde que entrou para a política, em 1986.

Carmen Pompeu, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2010 | 00h00

Cid Gomes disse que o momento mais difícil da campanha foi ter de responder às acusações de desvio de dinheiro público. "Sem nenhuma preocupação, eu perdia dez, vinte eleições de cabeça erguida, e isso não me traria nenhuma angústia. Agora, quando começa a mexer com a honra da gente, isso machuca muito", queixou-se.

No início da tarde, ainda no local de votação, na Faculdade Farias Brito, Tasso Jereissati não quis falar sobre seu futuro político em caso de derrota. Limitou-se a se queixar da campanha orquestrada por seus adversários, classificando-a de "rasteira".

Ele também acusou a família Gomes, liderada pelos irmãos Cid e Ciro Gomes, de "oligarca" e alertou para o risco que a falta de oposição pode causar ao Ceará e ao País.

Tasso descartou qualquer tipo de aliança política com os Gomes. "Eu não acredito mais nesse governo", justificou.

A ex-mulher de Ciro Gomes, Patrícia Saboya (PDT), e o irmão caçula dos Gomes, Ivo (PSB), também tiveram votação expressiva para a Assembleia Legislativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.