Cidade do RS decreta calamidade pública por chuvas; oito já morreram

No total, estima-se que 15 mil pessoas tenham sido afetadas em São Lourenço do Sul

Marília Lopes, Central de Notícias

11 Março 2011 | 16h13

SÃO PAULO - O município São Lourenço do Sul, no Rio Grande do Sul, decretou estado de calamidade pública por causa das chuvas. Segundo a Defesa Civil Estadual, a cidade já registra dois mil desalojados e 350 desabrigados. No total, estima-se que 15 mil pessoas tenham sido afetadas, de alguma forma, pelas chuvas que atingem a cidade.

 

As chuvas da madrugada de quinta-feira, 10, deixaram oito mortos. A Defesa Civil localizou três vítimas de afogamento por causa das enxurradas na cidade. Quatro mulheres não conseguiram deixar suas casas, que foram inundadas quando o nível do rio começou a subir e morreram. E um idoso sofreu um enfarte durante o salvamento e morreu.

 

A Defesa Civil já distribuiu 1,3 mil litros de água, 500 cestas básicas, 505 colchões e 200 kits dormitório aos atingidos pelas chuvas. Na próxima segunda-feira, 14, serão distribuídos mais 900 cobertores e 350 colchões.

 

Uma equipe do órgão está instalada no Ginásio Esporte Clube São Lourenço para receber as doações e realizar uma triagem dos materiais de ajuda humanitária. Em todo o Rio Grande do Sul, as Coordenadorias Municipais de Defesa Civil são responsáveis por receber doações e, posteriormente, transportar até o ginásio em São Lourenço do Sul.

 

Na capital, há um posto de arrecadação de donativos no Armazém A7, no Cais do Porto. Em todos os locais, as doações estão limitadas à alimentos não perecíveis, água potável e materiais de higiene. Para mais informações sobre como fazer uma doação, a Defesa Civil disponibilizou o telefone (53) 3251-5767.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.