1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cinegrafistas e fotógrafos homenageiam Santiago Andrade em frente a delegacia

Marcelo Gomes - O Estado de S.Paulo

11 Fevereiro 2014 | 10h 44

Profissionais da imprensa colocaram câmeras no chão e rezaram de mãos dadas na porta da 17ª DP, que investiga a morte de Andrade

RIO - Cinegrafistas e fotógrafos que fazem plantão em frente à 17ª DP (São Cristóvão) realizaram, no início da manhã desta terça-feira, 11, uma homenagem ao colega Santiago Andrade, da TV Bandeirantes, morto nessa segunda-feira após cinco dias internado. O profissional foi atingido atingido na cabeça por um rojão durante manifestação no centro do Rio, no dia 6, e que teve morte cerebral declarada ontem de manhã.

Os profissionais de imprensa colocaram suas câmeras no chão e, de mãos dadas, rezaram um Pai Nosso. A homenagem foi encerrada com uma salva de palmas. Desde a madrugada, é grande a movimentação de jornalistas na delegacia, depois que a Justiça decretou a prisão temporária por trinta dias de Caio Silva de Souza, identificado pelo tatuador Fábio Raposo como a pessoa que acendeu e deflagrou o rojão que atingiu o cinegrafista da Bandeirantes.

Raposo, que está preso desde domingo, 9, no Complexo Penitenciário de Gericinó (zona oeste),  admitiu ter repassado o artefato a Souza. Os dois foram indiciados por homicídio doloso (com intenção de matar) qualificado (por uso de artefato explosivo) e crime de explosão. Se condenados, podem pegar até 35 anos de prisão. Desde o fim da madrugada equipes da 17ª DP realizam diligências em busca de Souza, que até as 10h desta terça-feira não havia sido localizado.