Cinzas de vulcão chileno fazem Aerolíneas e Pluna cancelar voos

Aerolíneas já remarcou ou cancelou também voos da quinta-feira e cancelou 80 voos dentro da Argentina

estadão.com.br,

27 Julho 2011 | 18h35

SÃO PAULO - Com a volta das cinzas vulcânicas do Puyehue ao espaço aéreo argentino, a Aerolíneas Argentinas e a Pluna continuam cancelando ou remanejando voos nesta quarta-feira, 27. A Aerolíneas já remarcou ou cancelou também voos da quinta-feira, segundo comunicado publicado na manhã desta quarta-feira.

 

No Aeroporto de Guarulhos, três chegadas de Buenos Aires (01242 às 13h40, 01220 às 14h e 01276 às 20h) da Aerolíneas foram canceladas nesta quarta-feira, segundo a Infraero. Outra chegada de Montevidéu da Pluna (00236 às 1h40 do dia 28) também foi suspensa.

 

Mais dois voos que sairiam de Guarulhos, um para Buenos Aires da Aerolíneas (01243 às 14h20) e outro para Montevidéu da Pluna (00231 às 9h do dia 28) também foram cancelados.

 

Galeão. No Galeão, no Rio, a Pluna suspendeu uma chegada (00222 às 14h39) e uma partida (00223 às 15h30) para Montevidéu. A Aerolíneas, também, suspendeu uma chegada (01256 às 19h37) e uma partida para Buenos Aires (01257 às 20h15).

 

Aerolíneas. Neste quarta-feira, a Aerolíneas cancelou 80 voos dentro da Argentina. A partir da Argentina para outros países como o Brasil e Uruguai, foram 23 voos suspensos. Mais 13 voos regionais e internacionais foram reprogramados.

 

A Aerolíneas também já reprogramou sete voos dentro da Argentina para a quinta-feira, 28. Mais 18 voos argentinos foram cancelados para a quinta-feira. Ainda foram reprogramados para a mesma data, três voos regionais ou internacionais, um deles para São Paulo (AR1248), outro (AR1262/3) para Assunção, no Paraguai, e mais um para o Rio de Janeiro (AR1252/3).

 

Mais dois voos previstos para quinta-feira foram cancelados, tendo como origem (AR1261) e destino Assunção (AR1260).

 

Pluna. Em nota, a Pluna informou que cancelou os voos PU157 (entre Montevidéu e Buenos Aires - Aeroparque), PU162 (entre Buenos Aires - Aeroparque e Montevidéu), PU169 (entre Montevidéu e Buenos Aires - Aeroparque) e PU170 (Buenos Aires - Aeroparque e Montevidéu). O motivo é a nuvem de cinzas no espaço aéreo do Rio da Prata. Segundo a Pluna, as demais operações são feitas normalmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.