Colegiado queria continuar debate

Um texto sob a orientação de José Serra empurrado goela abaixo dos demais membros do Conselho Político do PSDB. Foi assim que, reservadamente, alguns tucanos encararam a operação de divulgação do documento. Intitulado Conselho Político: a nossa missão, o texto, apesar de fazer referência ao órgão, tem duas linhas escritas como se fossem uma advertência contra efeitos políticos colaterais: diz que é uma análise da conjuntura que "apresentamos" na reunião do conselho. O plural esconde o nome de Serra, autor do texto que, no entanto, não assina o documento.

Andrea Jubé Viana e Christiane Samarco, O Estado de S.Paulo

02 Julho 2011 | 00h00

Por ter sido divulgado por iniciativa de Serra, em sua página oficial na internet, e não no site oficial do partido, o documento não representa a opinião de todos os seus integrantes. O mal-estar político começou na própria reunião do conselho, na quarta-feira: alguns tucanos não gostaram de ver um documento pronto para ser assinado.

Além disso, estava ausente o senador Aécio Neves (MG), que havia solicitado a realização da primeira reunião do conselho apenas após seu retorno à vida pública (ele convalesce de fraturas). Alguns membros do conselho queriam a convocação de um novo encontro para debater mais os assuntos pautados pelo que deveria ser apenas "o rascunho de José Serra". A avaliação era de que não houve tempo suficiente para analisar o conteúdo numa primeira reunião ocorrida em meio às comemorações dos 80 anos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Depois do encontro, alguns membros do conselho encaminharam considerações sobre o texto ao presidente do partido, deputado Sérgio Guerra, que ficou de repassá-las a Serra. Mas, em vez de convocar nova reunião, o paulista preferiu antecipar a divulgação do documento. Um integrante do conselho afirmou ao Estado que não há uma rejeição frontal ao texto divulgado, mas ressaltou que, de fato, não é um "texto conjunto" do colegiado. Esse tucano considera muito positivo, entretanto, o partido se posicionar sobre a atual conjuntura política e econômica do País, analisada pelo documento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.