1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Com clima de medo, São Luís tem noite deserta e ônibus nas garagens

Rafaela Lima - Especial para o Estado

08 Janeiro 2014 | 10h 30

Sindicato de trabalhadores do transporte rodoviário diz que os veículos estavam circulando, mas, como não havia passageiros, foram recolhidos

SÃO LUÍS - A capital maranhense ficou deserta na noite de terça-feira. Apesar da decisão de os ônibus voltarem a circular com frota total em São Luís, o clima é de insegurança e medo. Zanoni Porto, comandante da Polícia Militar, reuniu-se com o secretário municipal de Trânsito e Transportes, Carlos Rogério, com Gilson Coimbra, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário do Maranhão, e com o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís (SET), José Luis Medeiros e, além do acerto do retorno da frota, também ficou decidido que, a partir de agora, postos de combustíveis em São Luís estão proibidos de vender gasolina, diesel ou álcool em garrafas pets. Uma criança de seis anos morreu após ter 95% do corpo queimado em um atentado a ônibus no fim da semana passada - o ataque foi um dos ordenados por presos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

A decisão de retorno da frota não foi totalmente cumprida. No começo da noite, a maioria dos coletivos foi recolhida para as garagens. Segundo a direção do SET, menos de 40% da frota continuou rodando pelas avenidas da capital. Coimbra, do sindicato dos trabalhadores, alega que os ônibus estavam circulando, mas, como não havia passageiros, os empresários recolheram seus veículos. Por volta de 18h, os pontos de ônibus e os terminais de integração da capital estavam completamente desertos.

Durante a manhã de terça-feira, uma reunião na  Secretaria de Trânsito e Transporte traçou os argumentos a serem discutidos com os representantes da segurança pública. "Estamos dando um voto de confiança para o comandante da PM", declarou Gilson Coimbra. Zanoni Porto, comandante da Polícia Militar, garantiu que a PM vai intensificar o policiamento ostensivo com novas estratégias, especialmente em áreas onde o registro de assaltos a ônibus é grande.

Além disso, ainda esta semana, será iniciada uma fiscalização nos postos de combustíveis e haverá reunião com os representantes da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para oficializar a decisão dos representantes. "Essa medida é uma forma de dificultar as ações de criminosos e proporcionar mais segurança à população", declarou Zanoni.

Uma das medidas anunciadas pela governadora Roseana Sarney era a criação de uma Delegacia Especial para combate a crimes dentro da Unidade Prisional de Pedrinhas. O prazo para início das atividades era terça-feira, mas, até o fim do dia, o local destinado à delegacia continuava deserto.