Com fuzis, falsos carteiros invadem casa nos Jardins

Uma vítima ligou para PM de quarto blindado; dono foi levado na fuga

Ricardo Valota e Bruna Ribeiro, O Estadao de S.Paulo

26 Outubro 2008 | 00h00

Armados com fuzis e metralhadoras, seis assaltantes invadiram por volta das 13h30 de ontem a casa do empresário Isaac Duek, de 56 anos, ex-sócio da grife Forum e irmão do estilista Tufi Duek. Da residência na Rua Atlântica, nos Jardins, zona sul da capital, foram roubados US$ 4 mil e jóias. Na fuga, o grupo levou o empresário como refém, mas o libertou pouco depois. Houve tiroteio entre bandidos e polícia. Ninguém foi preso e não houve feridos. Segundo a polícia, os bandidos conseguiram entrar no imóvel se passando por funcionários dos Correios. Vestido como carteiro, um dos assaltantes disse à empregada que precisava fazer a entrega de um Sedex. Após entrar na casa, ele abriu caminho para o grupo, que fugiu meia hora depois. Momentos antes, um vigia da rua foi rendido pelo bando e também foi mantido refém na casa. Além do empresário, estavam na casa sua mulher, duas filhas e a empregada. Uma das filhas conseguiu se esconder no cômodo blindado da residência e ligar para o 190. Ao perceberem que havia uma pessoa trancada no quarto do pânico, os criminosos ameaçaram matar os reféns. A filha, que já havia ligado para a polícia, resolveu sair. No momento em que PMs do 23º Batalhão se aproximavam, o grupo já dava início à fuga da casa. Além de um veículo com logotipo dos Correios, utilizavam também um Ford Focus. Com a chegada da PM, houve troca de tiros. Alguns disparos atingiram o portão da casa e veículos estacionados na rua. Um dos assaltantes também levou um tiro de raspão na cabeça, mas ainda conseguiu escapar. REFÉM Isaac chegou a ser levado como refém pelos bandidos no volante de sua BMW preta blindada. Na Rua Grécia, os ladrões renderam um taxista. Na Rua Estados Unidos, eles abandonaram Duek e a BMW. Os assaltantes fizeram mais uma vítima: o motorista de um Corsa, que foi obrigado a entregar o automóvel aos bandidos na Marginal do Pinheiros, na zona oeste. Em seguida, o grupo deixou o Corsa na Rua Tamaná e fugiu a pé. Até as 20 horas a PM não havia detido nenhum suspeito. As vítimas passavam bem. A família Duek possui segurança particular, mas no momento do assalto - não se sabe o motivo - os vigias não estavam no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.