1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Confronto entre traficantes e PMs assusta moradores do Complexo da Maré

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

25 Março 2014 | 19h 37

Desde sábado, cerca de 160 policiais ocupam as favelas Nova Holanda e Parque União, principais pontos de distribuição de armas e drogas do Comando Vermelho

RIO - Breves confrontos entre traficantes do Comando Vermelho e policiais dos batalhões de Operações Especiais (Bope), de Ações com Cães (BAC) e do Grupamento Aeromóvel (GAM) da Polícia Militar têm assustado moradores e aumentado a sensação de insegurança no Complexo da Maré, zona norte do Rio. Apesar do anúncio feito na segunda-feira pelo governador Sérgio Cabral (PMDB) de que o conjunto de favelas receberá uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) no segundo semestre deste ano, predominam a tensão e a desconfiança.

Desde sábado, cerca de 160 policiais do Bope, BAC, GAM e do 22º Batalhão (Maré) ocupam as favelas Nova Holanda e Parque União, principais pontos de distribuição de armas e drogas da facção. De dia e à noite, há "confrontos pontuais": olheiros do tráfico soltam fogos, sinal que alerta para a aproximação de policiais, e pouco depois são ouvidos tiros nas favelas.

Segundo agentes do setor de inteligência do Bope, com essas ações, os traficantes tentam distrair os policiais enquanto retiram armas e drogas do Complexo. "Eles (os traficantes) acharam que esta seria uma operação pontual, mas será permanente. Agora tentam nos distrair para retirar o material que deixaram para trás". Ainda de acordo com os policiais, traficantes do Terceiro Comando Puro (TCP), cujas favelas ainda não foram ocupadas, "ficam ostentando". "Mas vamos entrar em todas as favelas. É uma questão de tempo", afirmou um dos agentes.

Esperança. O clima de aparente tranquilidade não escondia a apreensão dos moradores do Complexo da Maré. Na Rua Esperança, o bar com o mesmo nome da via estava fechado, assim como parte do comércio da região. "Não podemos comentar nada. Espero que as coisas melhorem com a chegada da UPP, mas temos que esperar para ver", disse um comerciante.

Morando há nove anos no Parque União, a frentista de um posto de gasolina na Avenida Brasil se sente mais segura com a presença dos policiais. Ela conta que os usuários de crack costumavam roubar o posto. "Desde que a polícia chegou, isso acabou. E acho que com a UPP tudo vai ser melhor. A vida na favela vai ficar mais fácil e vai ser melhor para a gente viver".

Apreensões. Na tarde desta terça-feira, 25, policiais do 22º BPM (Maré) apreenderam 50kg de maconha, 20 kg de cocaína, quatro pistolas, quatro granadas, cinco rádios transmissores, cinco litros de cheirinho da loló, duas máquinas de contar dinheiro, 12 litros de solvente pra mistura, 400 pedras de crack, 530 pedras de cocaína de 50 reais e 218 trouxinhas de maconha na favela Nova Holanda. Oito carros roubados foram recuperados.

Todo o material estava escondido entre paredes e muros de casas da comunidade. Ninguém foi preso na operação. A ocorrência segue para a 21ª DP (Bonsucesso).