Contratação é legal e não tem influência de Eunício, diz sócio

Senador afirmou não acompanhar a gestão da Manchester; para Neves, prorrogação representa 'continuidade' de serviços

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2011 | 00h00

Procurado pelo Estado, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) não quis comentar as relações da Manchester Serviços Ltda. com a Petrobrás. Ele alegou que está afastado da administração e pediu à reportagem que conversasse com seu sócio na empresa, Nelson Ribeiro Neves.

O sócio de Eunício afirmou que o fato de um senador e dirigente do PMDB ser sócio da empresa não influencia nos contratos com a Petrobrás. "O senador é sócio, tem cotas, mas não participa da empresa", afirmou. Neves disse que não há qualquer "ilegalidade" nas relações entre a Manchester e a estatal. "Tudo foi feito dentro da lei."

Neves argumentou que os contratos de 2010 e 2011 são fruto de "continuidade" de serviços fechados há anos, via licitações. "A dispensa de licitação é prorrogação", afirmou.

A versão do empresário contradiz a da Petrobrás. A estatal nega ter havido prorrogação e diz que recorreu à Manchester para fazer novos contratos enquanto não se conclui o processo licitatório.

O diretor da Manchester disse que cabe à Petrobrás explicar por que os contratos são feitos com duração de dois a três meses. Neves afirmou que sua empresa tem ligação antiga com a estatal, sem conotação política.

Sobre o contrato de R$ 21,9 milhões fechado em abril, por dois meses, Neves informou que são serviços "díspares" em relação aos demais contratos, que têm valores menores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.