Corpo de 16ª vítima de acidente com trio elétrico é liberado em MG

Jovem deverá ser enterrado em Bandeira do Sul, onde vivia e estava quando houve problema no carnaval

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

07 Março 2011 | 13h15

BELO HORIZONTE - O corpo de Ramon Ambrogi de Oliveira, de 19 anos, foi liberado nesta segunda-feira, 7, do Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte e foi encaminhado para Bandeira do Sul, no sul de Minas, onde vai ser enterrado. O rapaz foi a 16ª vítima de um acidente ocorrido em um evento pré-carnavalesco em Bandeira do Sul, no sul de Minas, que deixou ainda mais de 50 feridos.

O caso levou o Procon mineiro a apreender produtos como serpentina e confete metalizados na capital mineira, por falta de instruções sobre a forma de manuseio seguro e alerta sobre riscos em português. O órgão não divulgou balanço das apreensões, mas confirmou que sete das 15 marcas encontradas no comércio não respeitam o previsto no Código de Defesa do Consumidor.

O Procon também proibiu em todo o Estado o uso desses produtos em cima de trios elétricos. Uma serpentina metalizada pode ter causado o curto-circuito que fez três cabos de energia se romperem sobre um destes veículos em Bandeira do Sul, cidade de 5,3 mil habitantes, em 27 de fevereiro.

Ambrogi havia sido transferido para a capital no dia seguinte, com queimaduras de até terceiro grau. Uma adolescente continua internada em estado grave no HPS, além de outras nove pessoas na Santa Casa de Poços de Caldas, também no sul do Minas, todas atingidas pela descarga elétrica. A maioria das vítimas do acidente era composta de adolescentes e jovens. O laudo com a confirmação da causa do curto vai ficar pronto nesta semana e a polícia afirma que, caso seja confirmada a hipótese da serpentina e a identidade de quem lançou o material, a pessoa poderá ser indiciada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.