Cúpula da Polícia Civil do Rio tem oito mudanças

Incidente envolvendo um juiz, que foi baleado em uma blitz na noite do útlimo dia 2, aumentou pressão por mudanças no alto comando

Pedro da Rocha, estadão.com.br

13 Outubro 2010 | 20h12

SÃO PAULO - O alto comando da Polícia Civil do Rio de Janeiro sofreu oito alterações, que foram anunciadas nesta quarta-feira, 13, pelo chefe da Polícia Civil no Estado, Allan Turnowski. O incidente envolvendo um juiz baleado em uma blitz na noite do dia 2 aumentou a pressão por modificações na polícia. Turnowski, porém, afirma que as mudanças estavam previstas para iniciar um "novo ciclo" na instituição.

 

"As mudanças são em função da continuidade de um novo governo. Nós não estamos trocando de projeto, estamos reforçando motivação para eles. Existe um momento em que você cumpre a sua missão", afirmou o chefe da Polícia Civil. Oito delegados foram removidos para ocuparem outras funções em diferentes departamentos.

 

Para a subchefia Operacional, assume o delegado Rodrigo Oliveira, que era diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE). Em seu lugar, toma posse o delegado Ronaldo Oliveira, ex- diretor do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC).

 

A subchefia Administrativa será assumida pelo delegado Fernando Albuquerque, que dirigia a chefia de Gabinete, agora sob responsabilidade de José Augusto Pereira de Souza, ex- corregedor Interno da Polícia Civil. Para o seu cargo, foi indicado Gilson Emiliano, que estava na subsecretaria de Contra Inteligência da Secretaria de Segurança (Seseg).

 

O DGPC ficará sob o comando do delegado Herald Espíndola, ex-coordenador Regional de Polícia de Niterói (CRPN), assumida por Marcus Neves, diretor do Departamento Geral de Polícia Técnico Científica (DGPTC). Em seu lugar assumirá o perito Sérgio Henriques, ex-diretor do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE).

 

O Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB) e de Interior (DGPI) continuam sob o comando do delegado Roberto Cardoso e Antônio Carlos de Carvalho, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.