Datafolha dá Dilma com 47% e Serra com 41%

Candidatos à Presidência mantêm os índices da sondagem anterior do mesmo instituto, divulgada no último domingo

, O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2010 | 00h00

Pesquisa Datafolha divulgada ontem aponta um quadro de estabilidade na disputa pela Presidência. Em uma semana, a candidata do PT, Dilma Rousseff, oscilou de 48% para 47%, enquanto Serra se manteve com 41% das intenções de voto totais. O índice de indecisos passou de 7% para 8%.

A oscilação negativa de Dilma se deve a uma queda de três pontos porcentuais no eleitorado de menor escolaridade, segundo o Datafolha. Quando se leva em conta apenas os votos válidos (excluídos os brancos e nulos), a candidata do PT fica com 54% e o adversário, com 46% - os mesmos índices da primeira pesquisa do instituto no segundo turno, divulgada no último sábado.

Desde então, os candidatos se enfrentam no debate da TV Bandeirantes - o confronto mais acirrado da campanha - e ampliaram as críticas mútuas na propaganda eleitoral.

O índice de rejeição a Serra aumentou três pontos porcentuais em uma semana - agora, 66% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. No caso de Dilma, a rejeição oscilou um ponto para baixo, de 68% para 67%.

Religião. Entre os eleitores católicos, o quadro permaneceu inalterado desde a semana passada - 51% optam pela candidata do PT e 38% pelo tucano (eram 37% na pesquisa anterior).

Entre os evangélicos não pentecostais, Dilma caiu quatro pontos, enquanto Serra oscilou dois pontos para cima.

No segmento do eleitorado que se declara sem religião, a candidata governista vence por 45% a 40%, mas ela caiu cinco pontos porcentuais e Serra cresceu cinco em relação ao levantamento anterior.

Tanto Serra quanto Dilma têm priorizado a conquista - ou a manutenção - do eleitorado religioso. Ambos declaram que não mudarão a legislação atual sobre o aborto, por exemplo, que apenas permite o procedimento em casos de estupro ou risco para a gestante.

Entre os eleitores que afirmam ter votado em Marina Silva (PV) no primeiro turno, 51% dizem optar por Serra na segunda rodada da eleição. Os que preferem Dilma são 23% (eram 22% na pesquisa anterior). Ainda há 15% de "marineiros" indecisos.

Um quarto dos entrevistados respondeu que o apoio de Marina a um dos candidatos poderia influenciar seu voto. A candidata teve quase 20% dos votos no primeiro turno.

Recorde de aprovação. O Datafolha também mediu a aprovação ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e detectou que ela chegou ao maior nível desde que a posse do petista, em 2003.

Pela primeira vez, 81% da população afirma que o governo é ótimo ou bom. No levantamento anterior, 78% dos eleitores davam a mesma resposta. A taxa de aprovação já foi de 28% no final de 2005, quando o governo passava pela crise do mensalão.

Segundo a pesquisa Datafolha mais recente, a nota atribuída ao governo Lula, em uma escala de zero a dez, é de 8,1, ante 8 na semana passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.