Demitidos promovem quebra-quebra em prefeitura baiana

Um grupo de 200 servidores municipais demitidos de Pé de Serra, a 280 quilômetros da capital baiana, invadiu e depredou o prédio da prefeitura na noite desta segunda. Eles quebraram móveis, portas janelas e como não conseguiram incendiar o local atiraram no seu interior uma bomba de fabricação caseira. Na manhã desta terça a prefeitura estava protegida por oito policiais militares e vários seguranças particulares do prefeito José Carneiro Rios (PFL). Os manifestantes se queixam de terem sido demitidos duas vezes pelo prefeito, a primeira no início do ano passado. Como os servidores conseguiram a reintegração através de medida judicial, em outubro, Rios resolveu mais uma vez colocá-los para fora na sexta-feira. Conforme o prefeito, os demitidos entraram no serviço público através de um concurso, supostamente fraudado, na administração anterior à sua. Contudo, os servidores demitidos alegam que o prefeito quer as vagas para empregar correligionários políticos e parentes, denunciando que dois filhos e duas sobrinhas de Rios ocupam cargos na administração. Revoltados ainda pelo fato de não terem recebido salários desde dezembro, os manifestantes se concentraram em frente a prefeitura começaram a gritar slogans contra o prefeito quando decidiram iniciar o quebra-quebra. A muito custo os policiais acalmaram a multidão conseguindo evitar o incêndio do prédio. A delegacia local abriu inquérito para apurar o caso.

Agencia Estado,

07 Fevereiro 2006 | 13h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.