Deputada já era citada em planilhas investigadas por PF

Vídeo divulgado sábado, que mostra momento em que a deputada pega um maço de dinheiro, aumenta os indícios contra ela

Leandro Colon, O Estado de S.Paulo

06 Março 2011 | 00h00

A revelação do vídeo, divulgado pelo estadão.com.br, que mostra a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF) recebendo dinheiro vivo do ex-secretário Durval Barbosa, pivô do esquema de corrupção no Distrito Federal, reforça indícios contra ela apontados no inquérito sobre o escândalo.

O nome de Jaqueline, filha do ex-governador Joaquim Roriz, havia aparecido no relatório final entregue pela Polícia Federal ao Ministério Público e também numa planilha apreendida na casa do ex-deputado Leonardo Prudente, que ficou conhecido por ter colocado dinheiro de propina nas meias.

Planilhas apreendidas no cofre da casa e no escritório de José Geraldo Maciel, ex-chefe da Casa Civil no DF, apontaram para o pagamento de propina para os deputados distritais votarem a favor do projeto que mudou o Plano Diretor (PDOT) do Distrito Federal em dezembro de 2008. Numa tabela intitulada "PDOT", aparecem deputados.

Ao lado de alguns nomes, há números que variam de 1,6 a 4. Outros nomes, entre eles o de Jaqueline Roriz (então deputada distrital), estão sem essas referências números.

O projeto foi aprovado por 19 dos 24 deputados distritais. Para a PF, isso reforça o depoimento de Durval Barbosa em que ele contou que cada deputado recebeu R$ 420 mil para ficar a favor do Plano Diretor.

O relatório da PF foi divulgado em agosto pelo Estado. Na época, Jaqueline Roriz negou qualquer envolvimento com o escândalo de corrupção.

Já no documento apreendido na casa de Leonardo Prudente, o nome de Jaqueline Roriz está numa tabela em que são relacionados os nomes de outros deputados e, ao lado, valores entre R$ 10 mil e R$ 14 mil ao lado. No caso da filha de Roriz, o registro é de R$ 12 mil.

Quando os documentos foram divulgados, os deputados, inclusive Jaqueline, disseram que a planilha tratava-se de salários de cargos de confianças que estavam sendo divididos entre os parlamentares da Câmara Distrital. Eleita deputada federal em outubro, Jaqueline é apontada como herdeira política do pai, Joaquim Roriz.

À Justiça Eleitoral, Jaqueline Roriz declarou um patrimônio de R$ 2,8 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.