Deputado já ''sobreviveu'' a seis processos

Aos 56 anos, começando seu sexto mandato seguido na Câmara, o campineiro Jair Bolsonaro (PP-RJ) habituou-se, na vida pública, a produzir frases polêmicas. Até agora, sobreviveu a seis pedidos de punição, na Câmara, por ataques a autoridades ou declarações que resvalaram para a quebra do decoro. "Com que moral vão me cassar aqui?", pergunta ele, sobre os pedidos de cassação - todos arquivados ou resumidos a moções de censura.

, O Estado de S.Paulo

31 Março 2011 | 00h00

Sua vocação para polêmica vem de longe. Como capitão de Exército, em 1986, ficou 15 dias preso e foi depois absolvido pelo Supremo Tribunal Militar. E se marcou, na carreira, pela defesa do regime militar de 1964.

Metralhadora

JAIR BOLSONARO

DEPUTADO FEDERAL (PP-RJ)

"Cumprimento o presidente Lula por ter nomeado para a Casa Civil uma pessoa técnica, especialista em assalto e furto"

Sobre Dilma Rousseff, em discurso na Câmara, em 2005

"Deveriam ter fuzilado uns 30 mil corruptos, a começar pelo presidente Fernando Henrique"

Entrevista à TV Band, em 2000

"O único erro foi torturar e não matar"

Sobre o regime militar, em 2008

"O filho começa a ficar meio gayzinho, leva um couro e muda o comportamento"

Na TV Câmara, em 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.