1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Destruída durante tiroteio, UPA do Alemão não tem previsão para reabrir

Marcelo Gomes e Sergio Torres - O Estado de S. Paulo

29 Abril 2014 | 10h 19

Posto de saúde que funcionava em um contêiner de dois andares foi totalmente depredado e saqueado por cerca de 70 pessoas

Rio - Destruída na noite desta segunda-feira, 28, no complexo de favelas do Alemão (zona norte do Rio), a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ficará fechado por tempo indeterminado. O posto de saúde da comunidade, que funcionava em um contêiner de dois andares, foi totalmente depredado e saqueado por cerca de 70 pessoas.

A invasão ocorreu por volta das 20h30. Há versões diferentes para as razões do ataque à UPA. Uma delas, a de que moradores chegaram ao posto com uma pessoa ferida no tiroteio que, naquele momento, confrontava policiais militares e criminosos. Sem médicos para o atendimento, as pessoas, revoltadas, teriam decidido depredar o posto.

A versão policial é outra: o ataque à UPA (de atendimento emergencial) teria sido ordenado por traficantes vinculados à facção criminosa Comando Vermelho (CV), em represália à repressão ao tráfico de drogas desencadeada há três anos pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio, com a criação da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora).

No contêiner da UPA funciona também o Centro de Atendimento Psico Social (Caps) e a Clínica de Família, de consultas ambulatoriais. No momento do ataque, havia quatro pacientes com problemas mentais internados no Pacs. Sem ter para onde levá-las, os seguranças da unidade os levaram para as próprias casas, na comunidade, onde passaram a noite.

Nesta manhã, Maria Elizabeth Gomes Pires, de 53 anos, esteve na UPA com a filha esquizofrênica Érica Pires, de 35. Não conseguiu atendimento."Minha filha fica o dia inteiro aqui. Hoje me disseram que não há previsão de retorno. É uma pena o que aconteceu. Isso aqui (apontando para o contêiner) é da gente", lamentou.

A UPA teve todo os vidros externos quebrados. Os computadores, aparelhos de TV e peças de mobília foram ou destruídos ou furtados. Documentos e muito papel permaneciam espalhados pelas dependências nesta manhã.