1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Dilma critica ameaças a jornalista que organizou movimento contra estupro

Bernardo Caram - O Estado de S. Paulo

31 Março 2014 | 20h 13

'Nana Queiroz merece toda a minha solidariedade e respeito', escreveu a presidente no Twitter

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff demonstrou nesta segunda-feira, 31, solidariedade à jornalista Nana Queiroz, uma das organizadoras do movimento "Eu não mereço ser estuprada", criado há cinco dias e fonte de grande repercussão nas redes sociais. A precursora do protesto, além de receber mensagens de apoio, foi hostilizada e ameaçada na internet.

"Por ter se manifestado nas redes contra a cultura de violência contra a mulher, a jornalista foi ameaçada de estupro (...) Nana Queiroz merece toda a minha solidariedade e #respeito", afirmou a presidente, por meio de sua conta no Twitter.

A campanha surgiu após a divulgação de uma pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que, entre os dados, constatou que 65% dos brasileiros acham que mulheres que usam roupas curtas merecem ser atacadas.

O estudo, apresentado na quinta-feira, 27, mostrou também que 58,5% das pessoas acham que se as mulheres "soubessem se comportar", haveria menos estupros. Em reação aos resultados da pesquisa, Nana publicou na

sexta-feira em sua página no Facebook uma foto em que aparece na esplanada dos ministérios, em Brasília, sem camisa, com a frase "não mereço ser estuprada" escrita nos braços.

Uma reação em cadeia se seguiu. Ao longo do fim de semana, milhares de pessoas aderiram à ideia e publicaram fotos semelhantes nas redes sociais. Mas as reações foram além do apoio e a jornalista passou a ser alvo de ameaças. Em seu perfil no Facebook, Nana comentou o que estava enfrentando. "Se você visse a quantidade de ameaças de estupro que recebi e mensagens raivosas de mulheres desejando que fosse estuprada, acreditaria na pesquisa. Estou assustadíssima, indo à delegacia hoje."

As postagens provocativas ou ameaçadoras se repetem nas redes sociais. Em uma das páginas do Facebook criadas para apoiar o movimento de Nana, um homem postou uma foto com a expressão "sou machista com orgulho" seguida da frase "feministas vagabundas, eu quero estuprar cada uma de vocês".

Em sua conta no Twitter, a presidente Dilma ressaltou que a legislação protege a mulher. "O governo e a lei estão do lado de Nana Queiroz e das mulheres ameaçadas ou vítimas de violência", disse.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo