Dilma tem 56% dos votos válidos contra 44% de Serra, indica pesquisa Ibope

Petista oscilou um ponto para baixo e tucano, um para cima, mas diferença entre os candidatos é de 12 pontos porcentuais

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2010 | 00h00

A petista Dilma Rousseff deverá ser eleita hoje presidente da República com 56% dos votos válidos, 12 pontos porcentuais a mais que o tucano José Serra, segundo pesquisa Ibope/Estado/TV Globo.

Como a margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, a petista pode ter de 54% a 58% dos votos válidos - excluídos os brancos e nulos. Levando-se em conta os votos totais, Dilma teria 52% contra 40%. Ontem, data em que a pesquisa foi realizada, ainda havia 3% de indecisos.

O levantamento foi feito inteiramente após o debate de sexta-feira à noite, na TV Globo.

Em relação à sondagem anterior do Ibope, concluída no dia 28, a candidata do PT oscilou um ponto para baixo e o tucano, um para cima - tomando-se como base os votos válidos.

Depois de passar quase toda a campanha com menos votos entre as mulheres que entre os homens, Dilma conseguiu praticamente eliminar essa diferença às vésperas da eleição. Ela tem 53% das intenções de voto no segmento masculino e 51% no feminino. Serra tem, respectivamente, 40% e 41%.

Geografia. A última pesquisa antes da votação captou um crescimento de Dilma na Região Sudeste. Sua vantagem passou de oito para dez pontos em dois dias, e era de apenas quatro menos de duas semanas atrás. A petista deve vencer com larga margem em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Em São Paulo, base política de Serra, a disputa está equilibrada. A petista também deve vencer no Nordeste - tem 66% contra 29%. No Sul, Serra aparece com 49% contra 42%.

Quanto menor a renda dos eleitores, maior a probabilidade de voto em Dilma. Ela tem 57% das preferências entre os que ganham até um salário mínimo e 45% entre os que tem ganhos superiores a dez mínimos. Com Serra ocorre o contrário: ele tem 38% e 46% nas faixas de renda mais baixa e mais alta, respectivamente.

A candidata governista tem 16 pontos de vantagem no eleitorado católico (55% a 39%), mas está empatada tecnicamente com o adversário entre os evangélicos (tem 44%, contra 47% para Serra).

O candidato do PSDB herdou metade (49%) do eleitorado de Marina Silva no primeiro turno. Dilma deverá ser a escolha de 36% dos simpatizantes da candidata do PV. Os demais devem votar nulo, em branco ou estavam indecisos.

Nos grandes municípios, com mais de cem mil habitantes, os dois candidatos começaram o segundo turno empatados (46% para Dilma e 44% para Serra). Agora, a petista abriu 12 pontos de vantagem (52% a 40%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.