Dilma tenta evitar clima de ''já ganhou''

Em Brasília, candidata pede a militantes petistas que ''coloquem salto bem baixinho'' e volta a criticar propostas de José Serra

Eugênia Lopes, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2010 | 00h00

Líder nas pesquisas, a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT) recomendou aos militantes que desçam do "salto alto" e não fiquem no clima de "já ganhou". Após o presidenciável tucano José Serra prometer pagar 13º salário para o Bolsa Família, a petista lançou ontem programa específico na área de desenvolvimento social que prevê a ampliação do benefício para famílias que não têm filhos.

"De hoje até dia 31, ninguém acha que já ganhou. Só faltam quatro dias. Vamos colocar um salto bem baixinho. Vamos disputar cada votinho", afirmou Dilma. "Vamos juntos até a última hora disputando votos." Diante de uma plateia de militantes petistas e de sete ministros de Estado, que aproveitaram a hora do almoço para participar do lançamento do Programa de Desenvolvimento Social em um teatro, em Brasília, a candidata foi ovacionada ao criticar as propostas do adversário para o setor.    

 

 

 

 

Veja também:     

link Dilma cita Marina e exibe lado ambiental do governo          

link Lula cobra apuração sobre uso de verba para enchentes

     

 

 

Segundo ela, Serra e os tucanos não priorizam o social e tratam essa questão em "um anexo ao programa de governo". "Para nós, a questão social não é um adereço nem um anexo de programa de governo. É o cerne da nossa gestão. Essa é a diferença histórica e a nova questão que colocamos na pauta do País", disse.

"Não é apenas no PIB (Produto Interno Bruto) que nós olhamos se o País melhorou ou não. Não é esse o indicador principal. O indicador principal é se mudamos as condições de vida da população, e nós mudamos sobretudo para os mais pobres. Essa é a grande conquista do presidente Lula", afirmou. "Nossa visão de País desenvolvido não é igual a deles."

A quatro dias das eleições, Dilma apresentou 13 promessas de reforço a programas sociais do governo Lula. O objetivo é "eliminar a pobreza absoluta" no Brasil que, de acordo com a candidata, atingirá 21,5 milhões de família. Além da Bolsa Família para pessoas que não têm filhos, o programa também promete a concessão do benefício para grupos indígenas, quilombolas, população de rua e pessoas "libertas da condição análoga ao trabalho escravo". Hoje, o governo paga Bolsa Família a 12,7 milhões famílias. O programa também se compromete a erradicar o trabalho infantil e a consolidar o Sistema Único de Assistência Social.

Nesta reta final, o comando da campanha de Dilma quer centrar esforços na preparação da candidata para o debate da TV Globo, amanhã. Os estrategistas da petista estão de olho nos indecisos que, segundo pesquisas, são 8% do eleitorado. "Temos de manter a mobilização e a militância na rua", afirmou o deputado André Vargas, secretário de comunicação do PT. As perguntas que serão feitas aos candidatos na TV Globo serão de eleitores indecisos.

Com vantagem sobre José Serra nas pesquisas, Dilma disse que "torce uma barbaridade" para dar de presente ao presidente Lula sua eleição - Lula fez aniversário ontem e pediu de presente a eleição da petista. "Esse presente só vai ser entregue às 17 horas do dia 31 de outubro. Até lá fica a expectativa do presente. É uma boa expectativa, mas hoje não sabemos se o presente vai ser entregue. Espero que seja entregue".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.