Distribuição de preservativos provoca filas em Salvador

A corrida de última hora por uma fantasia para o carnaval em Salvador só se compara à de homens e mulheres aos postos de saúde, neste sábado, para obter alguns dos 1,8 milhão de preservativos que serão distribuídos durante a festa. A Secretaria de Saúde de Salvador informou a jornalistas que a demanda de preservativos ultrapassou as expectativas, a ponto de um dos maiores postos de distribuição, no centro da cidade, entregar a homens e mulheres 10 mil camisinhas em apenas três horas. As autoridades sanitárias distribuem a cada folião uma caixa com dois preservativos, uma revista com explicações sobre o seu uso e o risco de contrair doenças graves pela falta de prevenção, assim como uma pulseira da campanha "Sexo seguro". A hierarquia católica criticou com veemência a campanha oficial por considerar que a promoção do uso do preservativo estimula os jovens a ter relações sexuais e elimina o medo de contrair doenças graves.

Agencia Estado,

25 Fevereiro 2006 | 19h35

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.