Dobra o número de atendimentos médico no 2º dia de desfile no Rio

Foram registrados quase 300 atendimentos entre segunda e terça-feira na Sapucaí e Terreirão

Solange Spigliatti, Central de Notícias

08 Março 2011 | 09h49

SÃO PAULO - O número de atendimentos médicos nos postos do Sambódromo e Terreirão do Samba, no Rio, aumentou no segundo dia de desfiles das escolas de samba, segundo a prefeitura. De acordo com o levantamento, os pedidos de ajuda mais que dobraram em relação à noite anterior.

Até as 4 horas desta terça-feira, 8, os postos médicos da Prefeitura nos dois pontos já haviam realizado 472 atendimentos. Desse total, sete pessoas precisaram ser transferidas para os hospitais municipais Souza Aguiar, Salgado Filho e Miguel Couto.

O local que atendeu o maior número de pessoas, de acordo com a prefeitura, foi o Posto 7, com 95 atendimentos e uma transferência, e os de menor procura, foram o Posto 2 e Terreirão 1, com 28 consultas em cada.

 

Domingo. No primeiro dia de desfiles, a prefeitura registrou 201 atendimentos. A tenda médica do Posto 7 concentrou a maior demanda, com 60 atendimentos.

 

Ao todo, foram feitas 10 remoções para os hospitais municipais Souza Aguiar, no Centro, e Salgado Filho, no Meier. As transferências foram por entorses, mal súbito e dor no peito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.