1. Usuário
Assine o Estadão
assine


É preciso acabar com essa cultura do estupro, diz especialista

Victor Vieira - O Estado de S. Paulo

27 Março 2014 | 21h 11

De acordo com Carla Cristina Garcia, resultados de pesquisa do Ipea mostram uma inversão de papéis entre mulheres e agressores

Na opinião da professora do Departamento de Sociologia da PUC-SP Carla Cristina Garcia, os resultados mostram uma inversão de papéis entre mulheres e agressores. "O comportamento da vítima jamais pode ser apontado como motivo da violência", alerta. "É preciso acabar com essa cultura do estupro, que está naturalizada."

Segundo Carla, é comum educar a mulher para sobreviver em um mundo sexista e violento, com restrições sobre roupas e lugares que frequenta. "Já as campanhas contra assédio no trabalho e no transporte público, por exemplo, aparecem menos."

O preconceito social revelado na pesquisa do Ipea também confirma que a violência doméstica é subnotificada. "Como a cultura machista permanece grande, o medo, a vergonha e o descrédito na Justiça fazem com que elas deixem de denunciar", avalia Sônia Coelho, integrante da Semprevivo Organização Feminista e da Marcha Mundial das Mulheres.