''É preciso aguardar investigações'', diz Geraldo Alckmin

Mesmo com o mal-estar causado no Palácio dos Bandeirantes, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), manteve sua posição e saiu novamente em defesa do presidente reeleito da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), deputado estadual Barros Munhoz.

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

18 Março 2011 | 00h00

Anteontem à noite, após evento no Palácio dos Bandeirantes, Alckmin rechaçou a ideia de que Munhoz deva se afastar do cargo para ser investigado pelas acusações de improbidade.

"Ele acabou de ser eleito, quase por unanimidade (recebeu 92 dos 94 votos possíveis), para presidir a Assembleia. Há investigações em curso e a gente deve aguardar o resultado delas", afirmou Alckmin.

Perguntado se defenderia rigor na apuração do caso, Alckmin esquivou-se e encerrou a entrevista coletiva, despedindo-se dos jornalistas abruptamente.

Ontem pela manhã, também nos Bandeirantes, Alckmin reafirmou que é "preciso aguardar o resultado das investigações" contra Munhoz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.