Em 18 Estados, disputa foi liquidada já no primeiro turno da eleição

Campanhas continuam em AL, PB, PI, AP, PR, RO, RR, GO e DF; houve surpresas no Norte e[br]no Centro-Oeste

Wilson Tosta, O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2010 | 00h00

Dezoito das 27 unidades da Federação - onde vivem 85,65% dos eleitores brasileiros, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) - encerraram a disputa por seus governos ontem. Apenas em oito Estados e no Distrito Federal, onde estão 14,35% dos votantes do Brasil, os cidadãos precisarão voltar às urnas em 31 de outubro para eleger seus governadores. Todos os Estados do Sul e Sudeste decidiram a disputa ontem. As campanhas eleitorais estaduais continuarão em três Estados do Nordeste (Alagoas, Paraíba e Piauí), quatro do Norte (Amapá, Pará, Rondônia e Roraima) e em dois do Centro-Oeste (Goiás e Brasília).

Um dos Estados mais pobres do País, Alagoas será cenário de disputa entre o governador Teotônio Vilela (PSDB) e o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT). O senador Fernando Collor (PTB) ficou de fora. Na Paraíba, a briga será entre dois membros da base governista: Ricardo Coutinho (PSB) e José Maranhão (PMDB). Os dois encerraram a campanha com votações próximas ( 49,74% e 49,30%). Já os piauienses escolherão entre Wilson Martins e (PSB) e Silvio Mendes (PSDB).

No Norte, uma das surpresas foi a realização de segundo turno no Pará, onde era esperada a vitória de Simão Jatene (PSDB) ontem. Ele precisará disputar uma nova votação com a governadora Ana Júlia Carepa (PT). No Amapá, Lucas Barreto (PTB) terá uma nova corrida - Camilo Capiberibe (PSB) era o provável adversário até 1 hora. Em Rondônia, disputarão Confúcio Moura (PMDB) e João Cahulla (PPS). E, em Roraima, Neudo Campos (PP) e Anchieta Júnior (PSDB)protagonizarão a nova rodada.

Houve surpresa também nas duas unidades da Federação do Centro-Oeste onde, até a véspera, esperava-se vitória em primeiro turno. No Distrito Federal, o petista Agnelo Queiroz terá de disputar o novo turno com Weslian Roriz (PSC), mulher do ex-governador Joaquim Roriz, que, por problemas com a Lei da Ficha Limpa, renunciou à candidatura e lançou a mulher em seu lugar. Outra surpresa se deu em Goiás, onde Marconi Perillo (PSDB) terá de disputar nova rodada com Íris Rezende (PMDB), apesar de pesquisas terem apontado vitória do tucano.

Primeiro turno. Com vitórias em primeiro turno de seus candidatos a governador no Rio, Rio Grande do Sul, Bahia e Pernambuco, os partidos que formam a base parlamentar do governo federal garantiram ontem o controle da administração de quatro dos seis maiores colégios eleitorais do País. As legendas governistas também conquistaram ou mantiveram o governo em sete dos nove Estados do Nordeste. A oposição, porém, conseguiu manter as administrações de São Paulo e Minas Gerais - somados, os dois Estados têm um terço do eleitorado brasileiro, informa o TSE - e Paraná, além de outros Estados, o que pode dar ao PSDB e aliados condições de rearticulação para disputar 2014.

Também decidiram as eleições para governador ontem em primeiro turno os Estados de Acre, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.