Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Em Aparecida, 1.800 PMs farão segurança na visita do papa

Alckmin diz esperar evento tranquilo; passagem do pontífice deve atrair 200 mil pessoas para a cidade nesta quarta

Tiago Dantas, O Estado de S. Paulo

23 Julho 2013 | 12h46

SÃO PAULO - O governo de São Paulo deslocou 1.800 policiais militares para fazer a segurança em Aparecida, no interior, durante a visita do papa Francisco. O pontífice rezará uma missa no Santuário Nacional na manhã desta quarta-feira, 24.

A operação de segurança terá o apoio de 3 helicópteros e 55 viaturas, além de bombeiros e médicos. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse, nesta terça-feira, 23, que confia em um evento tranquilo. "Não acredito que haverá problemas. O papa está sendo super bem recebido."

A passagem do papa Francisco deve atrair cerca de 200 mil pessoas a Aparecida, segundo estimativas do governo estadual. "A Jornada Mundial da Juventude coloca os valores cristãos no coração do jovem, como referência para sua vida. O objetivo é paz, é fraternidade", afirmou Alckmin.

No domingo, 21, uma bomba caseira foi encontrada em um banheiro de um estacionamento do Santuário Nacional de Aparecida. Segundo a PM, "tratava-se de um artefato caseiro e de baixo potencial lesivo".

Devido ao mau tempo, discute-se se o papa seguirá do Rio para Aparecida de avião ou carro, e não mais de helicóptero, como estava inicialmente previsto.

Mais conteúdo sobre:
papa Aparecida Geraldo Alckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.