Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Em comunicado interno, comandante do Exército diz que intervenção exigirá 'sacrifício'

'Em face da gravidade da crise, entende que a solução exigirá comprometimento, sinergia e sacrifício dos poderes constitucionais, das instituições e, eventualmente, da população', diz nota

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2018 | 23h06

BRASÍLIA - O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, divulgou comunicado interno nesta sexta-feira, 16, no qual informa sobre a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro. No texto, o general diz entender que a "a solução exigirá comprometimento, sinergia e sacrifício dos poderes constitucionais, das instituições e, eventualmente, da população".

O documento, divulgado em nome do chefe do Centro de Comunicação Social do Exército, general Otávio Santana do Rêgo Barros, diz que o presidente da República nomeou como interventor o general de Exército Walter Souza Braga Netto, Comandante Militar do Leste.

Diz ainda que o comandate do Exército "analisou os impactos dessa decisão para a Força Terrestre e determinou que todos os esforços convergissem para a concretização da missão atribuída ao Oficial-General".

O decreto que determina a intervenção federal no Rio foi publicado nesta sexta-feira, 16, e entrou em vigor imediatamente. Os detalhes da intervenção serão discutidos em reunião neste sábado, 17, no Palácio Guanabara, sede do governo do Rio, quando está prevista uma reunião com a presença do presidente Michel Temer, o interventor, ministros e o governador Luis Fernando Pezão.

Leia abaixo a íntegra do comunicado interno do Exército:

Incumbiu-me o Senhor Comandante do Exército de informar à Força o que se segue:

1. O Sr. Presidente da República, no uso de suas atribuições constitucionais, nomeou Interventor Federal na Segurança Pública do Rio de Janeiro, o General de Exército Walter Souza Braga Netto, Comandante Militar do Leste.

2. O Comandante do Exército, após reunião com o Alto-Comando do Exército, analisou os impactos dessa decisão para a Força Terrestre e determinou que todos os esforços convergissem para a concretização da missão atribuída ao Oficial-General. 

3. O Comandante do Exército, acompanhado pelo General Braga Netto, foi recebido pelo Sr. Presidente da República em audiência nesta tarde, onde foram apresentados alguns pontos que devem ser detalhados e regulamentados em Decreto Presidencial complementar.

4. O Comandante do Exército, em face da gravidade da crise, entende que a solução exigirá comprometimento, sinergia e sacrifício dos poderes constitucionais, das instituições e, eventualmente, da população.

Gen Div OTÁVIO SANTANA DO RÊGO BARROS

Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.