Em Minas, assédio ao PSB antecipa lances da eleição

Não é por acaso que a presidente Dilma Rousseff quer fincar pé em Belo Horizonte, montando ali um escritório do governo federal para expedientes eventuais. Também não por acaso, o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, em conversas com aliados em Minas, apontou o senador tucano Aécio Neves como o "inimigo político" a ser derrotado em 2012. Por trás da briga entre PT e PSDB na capital mineira está a parceria nacional com o PSB.

Christiane Samarco, O Estado de S.Paulo

27 Março 2011 | 00h00

A disputa pelo apoio dos socialistas em 2014 pôs na berlinda o projeto de reeleição do prefeito Márcio Lacerda (PSB), motivo de litígio entre tucanos e petistas. O PSDB diz que têm cacife maior a oferecer, pois o governador Antônio Anastásia já foi reeleito. Além disso, trabalha nos bastidores para estender a parceria com o PSB em pelo menos mais cinco capitais (AL, AM, PB, PR e RN).

Em 2008, Lacerda montou chapa com o PT e foi eleito graças à força política do padrinho Aécio, em aliança informal com o PSDB. Agora terá de optar por uma das duas legendas. "Não há clima para repetirmos esse modelo de aliança com o PT e o PSDB porque em 2014 talvez tenhamos um embate entre Aécio e Dilma pela Presidência", justifica o presidente do PT mineiro, Reginaldo Lopes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.