Em protesto, estudantes param trânsito e confrontam PM em Teresina

Manifestação que já está no 9.º dia é contra o aumento na integração da passagem de ônibus da cidade

Luciana Coelho, especial para a Agência Estado

11 Janeiro 2012 | 19h26

TERESINA - Os estudantes interditam as ruas e avenidas de Teresina pelo nono dia consecutivo em protesto contra a integração que elevou o preço da passagem do ônibus urbano para R$ 2,10, sendo que ainda tem que pagar meia passagem, R$ 1,05, para a segunda condução. Segundo os estudantes, está sendo cobrado R$ 3,15 pela integração de 40% das 92 linhas de ônibus urbano de Teresina.

Em oito dias de manifestações foram quebrados mais de 25 ônibus e outros cinco foram incendiados. Houve confronto entre estudantes e policiais militares, inclusive com a tropa de choque. No confronto foram usados spray de pimenta, gás lacrimogêneo, balas de borracha e cassetete.

 

Os estudantes usaram tomates, ovos e a partir do confronto direto, eles passaram a se armar de paus e pedras para enfrentar a polícia.

Desde o início do movimento foram presos mais de 50 pessoas. Na terça-feira, foram presos 17 pessoas e cinco pessoas foram apreendidas, por serem menores, depois foram liberados. Os presos terão que pagar fiança equivalente a 10 salários mínimos para serem soltos. Eles foram conduzidos a Casa de Custódia do Estado e para a Penitenciária Feminina.

 

Para garantir o direito de ir e vir o Governo do Estado encaminhou cerca de 600 policiais militares para conter o movimento estudantil e garantir o fluxo de trânsito na Avenida Frei Serafim.

Mais conteúdo sobre:
protesto ônibus preço Teresina PI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.